Grandes portais nacionais “se esquecem” de destacar morte do ex-governador

Principal nome da história política de Goiás, Iris Rezende só teve seu falecimento destacado em “capa” pelo site Metrópoles

Ocasiões como a desta terça-feira, 9, mostram de uma forma mais clara o “eixocentrismo” com que são tratadas as questões no Brasil.

Iris Rezende é, com certeza, um dos maiores nomes entre as personalidades políticas não só de Goiás, mas de todo o País.

Iris Rezende na capa do site Metrópoles, na manhã desta terça-feira | Foto: Reprodução

Mesmo assim, na manhã desta terça sua morte não estava destacada em nenhum dos portais mais visitados: para ver a notícia, foi preciso rolar para baixo as páginas iniciais de UOL, Folha de S.Paulo, Estadão, O Globo, G1 e R7.

Apenas o Metrópoles destacou, com foto e texto no lado direito de sua capa, a nota sobre a morte do ex-ministro de José Sarney (Agricultura) e Fernando Henrique Cardoso (Direito), além de senador (1995-2003), governador de Goiás por duas vezes (1983-1985 e 1991-1994) e prefeito de Goiânia por quatro vezes (eleito em 1966, 2004, 2008 e 2016).

É bem verdade que atualmente Iris não exercia mandato e estava “aposentado” da política, ao contrário, por exemplo, de Bruno Covas, que morreu jovem (41 anos), logo após se licenciar do comando da maior cidade do País.

De qualquer forma, em condição análoga ao prefeito de São Paulo, Maguito Vilela, eleito no ano passado, teve o mesmo destino sem ter, nem de perto, o mesmo destaque.

Coisas da hierarquia imposta pela posição geográfica e pelo PIB local, e que tão cedo não serão superadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.