Governo suspende venda de plano de saúde de Goiânia

A partir da próxima sexta-feira (9/9), quatro planos da operadora América Planos de Saúde não poderão ser comercializados. Medida não afeta atendimento aos clientes

Em medida preventiva de monitoramento, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) decidiu nesta sexta-feira (2/9) suspender o direito de comercialização de planos de saúde de oito operadoras em função de reclamações relativas à cobertura assistencial, como recusa e demora no atendimento. Um das operadoras suspensas pelo órgão é a goianiense América Planos de Saúde. A medida passa a valer a partir da próxima sexta-feira (9/9).

A medida faz parte do monitoramento periódico ANS pelo Programa de Monitoramento da Garantia de Atendimento. Se melhorarem o serviço prestado e tiverem redução do número de reclamações, as operadoras poderão ter a comercialização liberada no próximo ciclo, daqui a três meses. Na América Planos de Saúde, a venda de quatro modalidades de planos de saúde foram suspensas. Ao todo, a decisão suspende 23 planos de oito operadoras em todo o País. Confira a lista.

Além de terem a comercialização suspensa, as operadoras que negaram cobertura indevidamente podem receber multa que varia de R$ 80 mil a R$ 250 mil. Segundo a ANS, se melhorarem o serviço prestado e tiverem redução do número de reclamações, as operadoras poderão ter a comercialização liberada no próximo ciclo, daqui a três meses.

O Jornal Opção procurou a América Planos de Saúde, mas não conseguiu contato com a empresa até o fechamento da matéria.

Os clientes que já são beneficiários continuam a ter assistência regular a que têm direito, ficando protegidos com a medida, uma vez que as operadoras terão que resolver os problemas assistenciais para que possam receber clientes.

Pelo site da ANS, os beneficiários podem consultar o programa de monitoramento por operadora e conferir o histórico das empresas, além de verificar, em cada ciclo trimestral, se a empresa teve planos suspensos ou reativados.

Para dar mais transparência e possibilitar a comparação pelos consumidores, a ANS disponibiliza ainda um panorama geral com a situação de todas as operadoras, com a classificação das empresas nas quatro faixas existentes (que vão de 0 a 3).

Toda as denúncias e reclamações são recebidas pela ANS via canais de atendimento. Do período de 1º de abril a 30 de junho de 2016 foram mais de 13 mil reclamações, desse total, 11.445 queixas foram consideradas para análise pelo programa de Monitoramento da Garantia do Atendimento.

São excluídas as reclamações de operadoras que estão em portabilidade de carências, liquidação extrajudicial ou em processo de alienação de carteira, que já não podiam mais ser comercializados porque as empresas estão em processo de saída ordenada do mercado. (Com informações ANS)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.