O governo do Estado, por meio da Secretaria da Agricultura e Pecuária (Seagro) iniciou nesta segunda-feira, 26, as atividades da Rota da Pecuária, expedição técnica pública e privada dedicada a aprofundar conhecimentos sobre o desenvolvimento da criação de bovinos no Tocantins. A primeira parada é na Fazenda Bacaba, da Agrogem, em Miranorte, onde a comitiva conheceu o sistema integrado produção e implantação de um dos maiores projetos de confinamento do Brasil.

Fazenda Bacaba

Com a proposta de integração entre lavoura, pecuária, pessoas e meio ambiente, a fazenda conta com uma capacidade de armazenagem de 600 mil sacas de grãos, uma fábrica de ração com capacidade de produção de 535 toneladas por mês para demanda interna, engordando 60.000 bois por ano, cultivando soja, milho e sorgo dentro da própria fazenda.

Rota da Pecuária 

A Rota da Pecuária é uma expedição técnica pública e privada dedicada a aprofundar conhecimento quanto à pecuária tocantinense. Ao todo, a expedição percorrerá em torno de 1.300 km, em seis municípios (Miranorte, Araguaçu, Cariri, Gurupi, Peixe e Silvanópolis), onde produtores e técnicos visitarão seis propriedades previamente selecionadas pela Seagro. Nesses locais, os sistemas de criação e manejo vêm apontando positivamente em índices apresentados por seus gestores.

Nessas propriedades, os responsáveis técnicos e produtores irão relatar a trajetória da propriedade, explicando o manejo produtivo e financeiro, fornecendo dados como índices reprodutivos, sistema de seleção, estratégias nutricionais, gestão de pessoas e sanitária, tecnologias adotadas e comercialização dos produtos destas fazendas.

De acordo com a gerente de Pecuária da Seagro, Mara Luce Borges Leal, durante os cinco dias de expedição, os participantes vão conhecer os sistemas de produção e manejos adotados em algumas propriedades de corte no Tocantins, mostrando a relação entre o uso de tecnologia, o aumento de produtividade e o impacto na rentabilidade das fazendas. “A Rota da Pecuária é um evento de suma importância para os pecuaristas trocarem conhecimentos e discutirem sobre atual momento e expectativas do mercado. Isso tudo visando à melhoria do setor da pecuária tocantinense” destaca a gestora.

A gerente Mara Luce informa ainda que “essas informações servirão para subsidiar a Secretaria da Agricultura, compondo dados para análises de mercado e embasar políticas públicas para desenvolvimento do setor no Tocantins”, ressalta.