Governo Federal pode ter destinado R$ 33,5 milhões para aquisição de Viagra

Deputado federal Eliaz Vaz enviou pedido de convocação a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara. Ele quer explicações do ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira

Além da compra de 35 mil comprimidos de Viagra para as Forças Armadas, denunciada pelo deputado federal Elias Vaz (PSB) no início deste mês, o Governo Federal pode ter destinado R$ 33.592.714,80 dos cofres público para aquisição de 11 milhões de comprimidos do mesmo medicamento usado por homens para tratar a disfunção erétil. Como efeito da nova constatação, o político goiano quer a convocação do ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, para dar explicações sobre o gasto. O pedido foi realizado nesta quinta-feira, 28, para a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara.

Até agora, Elias identificou 10 empenhos do governo federal para aquisição de 11,2 milhões de comprimidos do Citrato de Sildenafila de 20, 25 e 50 miligramas no período de 2019 a 2022. O contrato de compra foi firmado entre o Laboratório Farmacêutico da Marinha Brasileira (UASG 765741)  e a empresa EMS S/A, segundo dados compartilhados no Portal da Transparência e do Painel de Preços do Governo Federal. A compra identificada no início do mês, que se soma aos novos lotes, foi destinada aos comandos da aeronáutica, marinha e exército, que receberam, respectivamente, duas mil, 28.320 e cinco mil unidades do remédio utilizado contra disfunção erétil. Nessa, foram 35.320 unidades do medicamento negociadas em oito pregões realizados por unidades vinculadas aos comandos da Marinha, do Exército e da Aeronáutica entre os anos de 2020 e 2021.

Desta forma, se considerado o preço médio de mercado, que é de R$ 20,12 por pílula, a compra poderia custar cerca de R$ 710,8 mil aos cidadãos. Na época, o presidente Jair Bolsonaro (PL) minimizou a situação e afirmou em relação aos comprimidos de Viagra: “Com todo o respeito, isso não é nada”. Além de alegar que compra foi destinada ao tratamento de hipertensão arterial e também doenças reumatológicas

Além da aquisição e Viagra, a compra de 60 próteses penianas ao exercito brasileiro também foi destinado ao Exército Brasileiro. O processo de aquisição, também identificado pelo deputado federal Elias Vaz, foram destinados cerca de R$ 3,5 milhões (R$3.475.947,30) para a aquisição dos produtos. Segundo o documento, ocorreram a realização de três Pregões Eletrônicos para aquisição de próteses penianas infláveis de silicone, homologados em 2021. Além disso, o deputado também quer explicações sobre o contrato do Laboratório Farmacêutico da Marinha com a farmacêutica EMS para transferência da tecnologia de fabricação do Citrato de Sildenafila.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.