Governo Federal estuda programa Bebê Ipasgo para instituir modelo semelhante no SUS

Representantes do Governo de Goiás apresentam experiência desenvolvida pelo Ipasgo para equipe do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos

Bebê Ipasgo pode inspirar política nacional de biometria neonatal. │ Foto: Ipasgo

Representantes do Instituto de Assistência dos Servidores Públicos de Goiás (Ipasgo) participaram, nesta sexta-feira, 12, de uma videoconferência com a equipe do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, para apresentar o programa Bebê Ipasgo para o Governo Federal, que tem interesse em instituir projeto similar no Sistema Único de Saúde (SUS).

O projeto, que é desenvolvido pelo Ipasgo em parceria com a Secretaria de Segurança Pública (SSP-GO) e o Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), permite que os recém-nascidos sejam registrados biometricamente ainda dentro da maternidade, de onde a família já sai com o cartão Ipasgo, certidão de nascimento e CPF do recém-nascido.

O cadastro dos recém-nascidos também garante a inclusão dos dados na base de identificação biométrica da Polícia Civil, possibilitando o aumento da probabilidade de resoluções de inquéritos futuros. A biometria neonatal evita problemas comuns em maternidades como trocas, roubos, vendas, tráfico e adoções ilegais.

O diretor de Promoção e Educação em Direitos Humanos do Ministério, Jailton Almeida do Nascimento, explicou que o problema de registros no Brasil começa logo no ato de emitir o primeiro documento. “Gostaria de parabenizar vocês que foram pioneiros no País e já começaram esse trabalho de modernização com a biometria neonatal. Faremos o possível para fazer o mesmo em nível nacional”, afirmou.

O presidente do Ipasgo, Hélio José Lopes, fez questão de se colocar à disposição para mais esclarecimentos. “Esperamos contribuir para que o projeto inspire uma política nacional de biometria neonatal”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.