Concessão para iniciativa privada aguarda parecer do TCU e tem previsão ainda para o ano de 2020

Ministro Tarcísio de Freitas anuncia concessão de BR-153 em inauguração de obras no Anel Viário | Foto: Divulgação

O ministro de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, anunciou nesta semana, na inauguração das obras de restauração e adequação do Anel Viário de Goiânia e Aparecida, 5.300 quilômetros de rodovias concedidas para a iniciativa privada.

“Estamos aguardando somente a deliberação do Tribunal de Contas da União (TCU) para fazer a concessão da BR-153 de Goiás para o Tocantins, que vai ter na sua primeira fase a duplicação do trecho da 153 no território goiano”, disse o ministro.

Ao receber a notícia, o governador Ronaldo Caiado (DEM) afirmou que a duplicação no trecho entre Anápolis e Porangatu é um “grande sonho”. A BR-153 liga o centro ao Norte e Centro-Sul do país. “É fundamental termos a duplicação, que sem dúvida alguma propiciará um transporte seguro e salvará vidas pelo fluxo que tem”, acrescentou Caiado.

A concessão da BR-153 para a iniciativa privada já havia sido antecipada pelo sercretário Nacional de Transportes Terrestres do Ministério da Infraestrutura, Marcello Costa. Para ele, as concessões do governo federal são modernas e inovadoras e comparáveis aos modelos dos Estados Unidos e Europa.

“Salva vidas, economiza recursos do Ministério da Saúde, com os acidentes que deixaram de ocorrer, melhora a logística e a competitividade do país, tornando o Brasil mais próspero e mais atrativo para investimentos de fora, de capital estrangeiro”, avaliou Marcelo Costa.