Governo Estadual pode realizar censo sobre número de autistas em Goiás

Estudo seria inédito e foi cogitado por representante do Executivo em evento que lançou site do projeto TEAmamos, entidade de apoio a famílias com casos do espectro 

Foto: divulgação

Durante evento realizado no último fim de semana pelo projeto TEAmamos, a superintendente estadual da Infância e Juventude, Thaís Moraes, que representava o Governo Estadual, afirmou que está aberta a se reunir com as idealizadoras do projeto para realização de uma ação cobrada por familiares com casos de autismo: um censo que quantifique o número de pessoas com o transtorno no Estado.

“O Governo do Estado reitera, aqui, o compromisso para a promoção de políticas públicas efetivas que estimulem o debate da inclusão. Sendo assim, estou à disposição, enquanto superintendente da Infância e Juventude, para que possamos dar um start neste mapeamento”, destacou Thaís Moraes.

A questão da pesquisa foi levantada durante o evento de lançamento do site do TEAmamos, plataforma de apoio e conhecimento para familiares com casos do espectro autista.

“Não há, no Brasil, nenhum estudo científico (apenas estimativas) que mostre quantas pessoas com TEA vivem no País. Nós sabemos que somos muitos. E esse número não para de crescer. A partir do momento em que o Estado tem esse dado em mãos, pode direcionar as iniciativas de inclusão de forma mais assertiva em diversas áreas”, defendeu a jornalista Carla Lacerda, uma das idealizadoras do projeto.

Além da representante do governador Ronaldo Caiado, superintendente Thaís Moraes, também prestigiaram a reunião a presidente da Comissão de Inclusão e Deficiência do Instituto Brasileiro de Direito da Família (IBDFAM), Denise Gondim de Mendonça; o presidente executivo do Instituto Total, Cleneilton Araújo Borges; a advogada Maíra Botelho, membro da Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da OAB-GO; além de integrantes da Associação de Familiares e Amigos do Autismo de Goiás (Afaag); do Núcleo de Apoio e Inclusão do Autista (Naia); médicos, psicólogos, fonoaudiólogos, jornalistas e sociedade civil de um modo geral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.