Governo Estadual investe R$ 24,7 milhões em bolsas da UEG em quatro anos

Com auxílio, governador visa fortalecer ensino superior em Goiás. No total, 6.004 alunos de 12 modalidades foram beneficiados

O governador Marconi Perillo (PSDB) fez um balanço dos último quatro anos do ensino superior no estado e destacou os valores investidos na Universidade Estadual de Goiás (UEG), no Programa Bolsa Universitária e no Programa Próprio de Bolsas da UEG (PPG-UEG). Neste período, os investimentos no PPG-UEG, por exemplo, chegaram a R$ 24,7 milhões.

No total, 6.004 estudantes foram beneficiados com bolsas, distribuídas em 12 modalidades de ensino. Para Marconi, o PPB é considerado o elemento fundamental do tripé “ensino, pesquisa e extensão” da instituição.

Criado pelo próprio Governo Estadual, o programa foi pensado para auxiliar estudantes que não poderiam cursar uma faculdade, caso não obtivessem ajuda financeira. De acordo com o reitor da UEG, Haroldo Reimer, os pilares do trabalho desenvolvido na universidade são a colaboração, a inovação e a democracia. Por isso, além de acolher estudantes, é preciso oferecer condições para que eles concluam o curso acadêmico.

“Não basta só trazer alunos para dentro da universidade, é preciso encontrar formas de assegurar a permanência deles nos estudos. Há que se reconhecer que a UEG recebe 80% de alunos da Rede Pública de Goiás. E esses alunos chegam com potencialidades, mas também com fragilidades. Para que possamos assegurar a democratização do acesso ao Ensino Superior, não basta somente incluir, temos de ajudar para que eles permaneçam e terminem o curso com sucesso”, explica Reimer.

A modalidade que se sobressai no quesito assistência estudantil é a Bolsa Permanência, que concede R$ 400 mensais a alunos de famílias com renda de até três salários mínimos por pessoa. Em 2016, foram concedidas 1.497 bolsas, sendo 600 delas destinadas à Bolsa Permanência. Também no ano passado, o valor investido pelo Governo Estadual, por meio da UEG, em bolsas, chegou ao total de R$ 7,4 milhões.

Segundo Haroldo, em 2012, havia cerca de 15 mil alunos matriculados na UEG. Hoje, o número chega 18.846. Ele atribui o crescimento a duas ações da atual gestão: o Programa Próprio de Bolsas da Universidade Estadual de Goiás e a reestruturação curricular promovida nos últimos anos. “A boa relação entre a UEG e o Governo Estadual, sob a orientação do governador Marconi, nos ajudou muito a conquistar esse reposicionamento e a requalificar a universidade”, defende.

Projetos de extensão

Outro pilar do ensino superior, a extensão universitária, faz parte da formação do aluno, com reflexos importantes também na comunidade em geral. Desde 2011, mais de 2,4 milhões de goianos foram beneficiados por ações extensionistas da UEG, nas áreas de Comunicação, Cultura, Direitos Humanos e Justiça, Educação, Meio Ambiente, Saúde, Tecnologia e Trabalho.

Em 2016, o número de ações extensionistas promovidas pela UEG chegou a 923. Foram realizados 184 cursos e 100 eventos, que reuniram público de 529.245 pessoas. É o caso, por exemplo, do Cine UEG, cujo objetivo é reunir e fortalecer os cineclubes distribuídos pelos câmpus da Universidade no interior. No ano passado, cinco cidades já receberam o projeto, integrando alunos e comunidade.

A extensão é obrigatória na integralização do currículo na UEG. O aluno precisa somar 20% das atividades complementares com esse tipo de ação. O envolvimento pode ser feito de diversas formas, como na monitoria de cursos, organização de eventos e até na semirregência, em que o aluno atua como professor. Com a experiência na modalidade, o aluno passa a ter uma consciência e olhar social de forma prática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.