Governo de Goiás envia equipe da Secretaria de Cultura a Jataí para discutir projetos

Objetivo de grupo é conhecer cenário das regiões do Estado para expandir ações da Pasta

Chefe de gabinete da Secult Goiás, Leila Soares debate ideias de empreendedorismo criativo com gestores locais em Jataí. │Foto: Sóstenes Henrique / Secult Goiás

Representantes da Secretaria de Estado de Cultura (Secult) visitaram a cidade de Jataí, nesta quarta-feira, 20, para discutir políticas culturais para o município com gestores locais. A chefe de gabinete da Pasta, Leila Soares, esteve com a secretária municipal de cultura, Emília Tereza.

Na reunião, foram apresentados projetos em andamento e os que estão em fase de implantação em Goiânia, para buscar viabilidade para que as iniciativas possam ocorrer em Jataí, por meio de parceria entre Estado e Município, via secretarias de Cultura.

Levar o projeto Gibiteca para o Sudoeste de Goiás, iniciando por Jataí, também é estudado como possibilidade para este ano. Trata-se de uma van da Secult Goiás adaptada com uma minibiblioteca, que irá permitir ações itinerantes de incentivo à leitura de crianças e adolescentes. Neste sentido, o Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica) Itinerante também poderá passar pela cidade em sua próxima edição.

“Jataí é um importante município do nosso Estado, por isso fomos conhecer de perto suas demandas culturais”, explica a chefe de gabinete Leila Soares. Segundo ela, ao final do encontro, ficou firmado o acordo de que a Secretaria de Cultura de Jataí irá mapear o segmento cultural local e repassar à Secult Goiás, para que as ações alinhadas possam ser viabilizadas em breve.

Descentralizar a Cultura

De acordo com o secretário de Estado de Cultura, Adriano Baldy, essas ações tem como objetivo descentralizar a cultura em Goiás. O objetivo é conhecer as bases culturais locais para expandir o fomento ao setor cultural, de acordo com a necessidade de cada região.

“Precisamos pensar a Cultura para além do entretenimento, pois trata-se de um setor com enorme potencial econômico. O empreendedorismo criativo emprega famílias e contribui para o bem-estar social, sobretudo de jovens em situação da vulnerabilidade social ou familiar”, ressalta o secretário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.