Governo abre reservatório de água privado para dar vazão ao Rio Meia Ponte

Objetivo é aumentar a captação pela Saneago e evitar que haja o rodízio de abastecimento de água na Capital

Foto: Divulgação

O governador Ronaldo Caiado (DEM), ao lado da secretária de Estado de Meio Ambiente, Andréa Vulcanis, realizou a abertura de descarga de fundo dos primeiros reservatórios de água para garantir o acréscimo na vazão do rio Meio Ponte. O intuito é aumentar a captação pela Saneago e evitar o rodízio de abastecimento de água na Capital. A primeira ação ocorreu no município do Santo Antônio de Goiás.

“Nós vamos buscar os reservatórios mais próximos da captação da Saneago”, disse o gestor ao reforçar que água é retirada de propriedade particular ao longo do leito do Meia Ponte desde a nascente. “Mas esperamos que a chuva venha o mais rápido possível”.

Porém, ele explicou que a situação ainda é muito preocupante e que o Estado está em sinal de alerta. “Estamos nos esforçando ao máximo para que não haja o rodízio em Goiânia”.

Na prática

A secretária, por sua vez, explicou que já existem algumas comportas prontas e que para essas basta abrir e a água já estará disponível. Onde não há “vazão de fundo” é preciso “fazer o bombeamento e a ligação com dutos e canos”. “Então estamos verificando as que nós temos mais facilidade, nesse primeiro momento”, disse.

Segundo ela, os produtores já têm sido contatados para que possam disponibilizar a abertura das comportas, que será gradativo. Ao todo, 70 barramentos farão este revezamento, com liberação de 30% em cada um. Ao todo, eles representam 42 milhões de metros cúbicos de água reservada, conforme a titular da pasta.

“Já foram mapeados todos os barramentos com espelho d’água acima de dois hectares. Também já estão georreferenciados e os produtores já estão sendo contatados para que possam disponibilizar a abertura das comportas. A ideia é um revezamento até que a chuva chegue. E a gente acredita que consegue manter uma vazão do rio adequada para que haja uma captação da Saneago no limite que ela já faz”, pontua.

Restrição

Segundo a titular, atualmente a captação já está no limite máximo de restrição, então a água disponível é mínima. “Mesmo que a gente faça a abertura, vamos lembrar que tem captação muito em cima, lá em Inhumas, então demora para chegar. Não tem água disponível para nenhum tipo de desperdício”, alerta.

Ela também destaca que a fiscalização está em campo com mais de cem homens por toda a bacia e que já foi verificado que há um baixo descumprimento da irrigação diurna — que não deveria ocorrer. “E agora vamos fazer uma restrição maior no período noturno”.

Mas ela ressalta que, da mesma forma, o cidadão precisa economizar. “O mínimo que a Saneago capta é mil litros por segundo. Hoje pela manhã a captação estava em 1.480 litros por segundo — a medição é feita a cada cinco minutos e faz-se a média entre 7h e 17h. Ainda está sobrando uma vazão remanescente, mas estamos muito próximos, por conta do calor e da baixa umidade. Os estoques de disponibilidade subterrânea estão reduzindo rápido. Tudo depende agora do consumo”.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.