Governador ressalta importância de programa da Universal em encontro com líderes religiosos

Programa Social Universal nos Presídios busca a ressocialização dos detentos

Bispo Manoel Gonzales, José Eliton e opastor Anildo José Santos | Foto: Divulgação

O governador José Eliton (PSDB) esteve com o bispo Manoel Gonzales e o pastor Anildo José Santos nesta quinta-feira (21/6) para falar sobre o Programa Social Universal nos Presídios (UNP), da Igreja Universal do Reino de Deus, do qual os religiosos são responsáveis. O projeto visa pelo trabalho espiritual e socioeducativo dos detentos e foi apresentado à Goiás em março deste ano.

Na ocasião, o José Eliton ressaltou a importância deste programa social da Universal, que, segundo ele, leva esperança àquelas pessoas que, em algum momento da vida, cometeram delitos e crimes, e hoje precisam de ajuda para se reerguerem na vida. “O papel desenvolvido pelo programa da Igreja Universal e de outras igrejas, que têm projetos similares, é fundamental para ressocialização dos detentos”, disse.

O governador afirmou, ainda, que o Governo de Goiás apoia o programa de diversas formas. “O UNP vem complementar um conjunto de ações desenvolvidas pela Diretoria de Sistema Penitenciário, desde a oferta de segurança aos integrantes do projeto, para que possam entrar nos presídios e evangelizar, ao apoio estrutural para a realização do trabalho”, destacou.

O bispo Manoel Gonzales disse que o UNP atua em todos os presídios de Goiás: “O objetivo principal é levar aos detentos a esperança de uma mudança de vida. Sabemos que eles cometeram seus delitos, mas temos consciência que é possível mudar porque temos resultados a partir dos ensinamentos bíblicos e das ações socieducativas que complementam o trabalho espiritual que realizamos”.

Há mais de 30 anos, a Universal realiza um trabalho de auxílio aos presos e suas famílias em todo o Brasil, com o objetivo de evangelizar e, na medida do possível, diminuir o sofrimento de quem está privado da liberdade. Eles também colaboram com a doação de alimentos, kits de higiene, Bíblias, livros e serviços de saúde e bem-estar.

De acordo com o bispo Manoel Gonzales, o programa atende a 69% da população carcerária no país, cerca de 500 mil detentos, 1299 presídios e tem hoje 23 mil voluntários atuando. “Além do apoio espiritual ao detento, aos familiares e aos agentes carcerários, nós estamos realizando ações socioeducativas, como leituras, cursos profissionalizantes e ações esportivas e culturais”, informou.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.