Google anuncia campanha publicitária contra PL das Fake News

Plataforma alega que texto pode “obrigá-la” a financiar notícias falsas

O Google anunciou no último sábado, 02, uma campanha publicitária contra o projeto de lei 2.630/2020, conhecido como PL das Fake News. Segundo a empresa, o texto poderia obrigar o custeio de notícias falsas. De forma geral, as chamadas big techs vêm fazendo duras críticas à proposta, assim como um forte lobby, na intenção de evitar com que a matéria avance. Em um anúncio, a empresa diz que o “Projeto de Lei 2630 pode obrigar o Google a financiar notícias falsas”, e ressalta a necessidade de um debate que incentive o leitor a procurar “seu deputado nas redes sociais”.

Neste domingo, 3, anúncios pagos pela companhia contra a PL das Fake News foram publicados em diversos veículos impressos brasileiros, como o Jornal O Globo, a Folha de São Paulo, o Estado de São Paulo e o Correio Braziliense. A peça publicitária teria o objetivo de agradar veículos impressos, de forma a fazê-los ajudar na campanha das big techs, assim como estimular internautas a procurar deputados nas redes sociais para pedir o adiamento do debate.

De acordo com a própria Câmara dos Deputados, o projeto instituiria a Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade e Transparência na Internet, criando “medidas de combate à disseminação de conteúdo falso nas redes sociais, como Facebook e Twitter, e nos serviços de mensagens privadas, como WhatsApp e Telegram”. A proposta foi apresentada pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e já foi aprovado pelo Senado, tendo de ser submetido, agora, à apreciação dos deputados. Segundo o texto, divulgado no site da Câmara, os provedores de redes sociais e de serviços de mensagens deverão proibir contas falsas – criadas ou usadas “com o propósito de assumir ou simular identidade de terceiros para enganar o público” –, exceto em caso de conteúdo humorístico ou paródia.

De acordo com o deputado federal Orlando Silva (PCdoB-SP), relator do projeto na Câmara, a companhia de tecnologia está abusando de seu poder econômico fazendo chantagem explícita. O parlamentar acusou a empresa de usar “conteúdo alheio para enriquecer”, não ter “ética e nem solidariedade com quem produz informação”. Na última quinta-feira, 31, o Google anunciou um conjunto de ferramentas para combater notícias falsas espalhadas pela internet. No sábado, 2, a multinacional celebrou o Dia Internacional de Checagem de Fatos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.