Gomide defende aliança PT-PMDB em 2016

Opinião do ex-prefeito de Anápolis é contrária a de Humberto Aidar, deputado petista. Para o ex-candidato a governador, casamento com partido aliado é o “mais importante”

Antônio Gomide prefere manter aliança com PMDB de Iris Rezende | Foto: Andre Kerygma/Arquivo

Antônio Gomide prefere manter aliança com PMDB de Iris Rezende | Foto: Andre Kerygma/Arquivo

O PT deve manter a aliança com o PMDB na disputa das eleições municipais em 2016, inclusive em Goiânia. Foi o que defendeu o ex-prefeito de Anápolis Antônio Gomide (PT), em entrevista ao Jornal Opção Online nesta quarta-feira (18/2).

“É melhor manter as coligações afinadas. Temos o PMDB como aliado da presidente Dilma Rousseff [PT] nacionalmente, e isso é o mais importante. Eu defendo que estejamos juntos, por conta da aliança a nível nacional. E nas cidades que pudermos nos manter assim, será melhor”, avaliou, citando Anápolis e a capital.

Para Antônio Gomide, primeiro é preciso decidir se o melhor candidato à Prefeitura de Goiânia sairá de sua agremiação. Depois, apontou, é preciso buscar o apoio dos outros partidos.

Quarto colocado nas eleições ao governo estadual em outubro passado, com 10,9% dos votos, ele afirma que seu partido tem de quatro a cinco bons nomes bons para continuar administrando a capital. No entanto, preferiu não citar nomes.

O petista antecipou que a sigla trabalha para formar as comissões provisórias e os diretórios municipais até o fim de outubro deste ano. A intenção é lançar candidatos em todas as cidades goianas.

Cotados

O ex-reitor da Universidade Federal de Goiás (UFG) Edward Madureira e a deputada estadual Adriana Accorsi são cotados para suceder Paulo Garcia, que não disputa reeleição.

Ambos concorreram ao primeiro mandato eletivo em 2014, e por isso, são vistos como nomes novos e sem desgastes no cenário. O primeiro tentou vaga na Câmara dos Deputados. Mas com 58.865 votos, não foi eleito. Já a agente de segurança conseguiu cadeira na Assembleia Legislativa, com a preferência de 43.424 eleitores.

No PMDB, o nome do ex-governador Iris Rezende desponta, novamente, na lista de pré-candidatos ao Paço Municipal. Mas o deputado petista Humberto Aidar — que também se coloca a disposição na disputa — relatou que sua legenda não deve “andar a reboque” do líder peemedebista.

“Acrescento que, se o partido quiser subordinar-se ao irismo, mais uma vez, vou lutar contra com todas as minhas energias. Por quê? Porque temos bons nomes e não podemos impedir que se testem eleitoralmente. Eu insisto: rejeito qualquer aliança com Iris Rezende. Bancar seu vice é o mesmo que dizer que o PT não serve para governar Goiânia”, argumentou o parlamentar.

PT e Caiado

Ao fim do ano passado o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) disse que apoiaria Iris Rezende nas eleições em Goiânia. Porém, desde que o PT não caminhasse com o PMDB.

Sobre isso, Antônio Gomide negou que a situação possa dificultar a formação das coligações. “Não podemos nos aliar com aqueles que não apoiam Dilma Rousseff. Tendo candidato próprio ou apoiando um do PMDB temos capacidade de vencer. Mas a discussão será travada no diretório municipal.”

2
Deixe um comentário

2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Di Almeida

É questão de encarar a realidade. Manter a aliança automaticamente afasta o Ronaldo Caiado e fortalece o PT, pois sabemos que Iris Rezende ainda possui forte capital eleitoral em Goiânia, tendo em vista que ele liderou em Goiânia na eleição de 2014.

Santos Van

Muito coerente – como sempre, o Grande Gomide! O maior administrador puúblico da história de Anápolis.