Golpistas usam QR Code para clonar WhatsApp; veja cuidados a serem tomados

Com avanço da tecnologia, usuários precisam redobrar os cuidados para evitar serem vítimas de estelionatários

Golpistas usam QR code para clonar aplicativos. | Foto: Ilustração

O avanço das tecnologias facilita as formas de comunicação entre as pessoas. No entanto é preciso se atentar a seu uso. Golpistas têm contado com a ajuda dos próprios usuários para realizarem roubo e clonagem de contas do WhatsApp. Um dos artifícios que tem se tornado recorrente é o sequestro da conta via QR Code.

Popularmente conhecido como WhatsApp Web, os usuários usam um QR Code para abrirem suas contas no computador. É possível acessar em um navegador da internet ou em um desktop. É por meio dessa função que os criminosos fazem clonagem e sequestro das contas.

De acordo com pesquisadores da empresa de segurança virtual Eset, os golpistas convencem as vítimas a escanear um QR Code enganoso. Ao invés de apresentar uma página oficial do WhatsApp, exibe uma página falsa que tenta sequestrar a conta dos usuários. Desde 2019, a empresa alertava para o aumento de sequestros de contas do WhatsApp feita por meio de um ataque conhecido como QRLjacking.

Apesar de versões mais recentes exigirem desbloqueio para acessar essa função no computador, versões mais antigas usam o código para conceder acesso sem qualquer validação adicional. Dessa forma, os golpistas desenvolveram ferramentas capazes de capturar e armazenar a imagem do QR Code gerada pelo WhatsApp e criar um código para mostrar à própria vítima.

Depois de feita a invasão, o hacker consegue o sequestro da conta do usuário. A partir daí, poderá realizar qualquer ação no aplicativo. Um fato alarmante é que o aplicativo não é necessariamente interrompido no celular da vítima, o que pode fazer com que ela não perceba a ação.

A Eset alertou que qualquer aplicativo que use QR Code pode sofrer ataques semelhantes. Para evitar esse tipo de ação, a empresa orienta usar o mínimo possível acesso a redes de internet públicas ou desconhecidas; conhecer os aplicativos que utiliza QR Code; suspeitas se algum deles pedir digitalização de QR Code com promessa de algum benefício; manter a atenção nas redes; ficar atento às respostas do app a seu comando; manter atualizado e ativados programas de segurança de seus dispositivos.

Fonte: UOL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.