Goiás vai mapear áreas de risco no ecoturismo para evitar acidentes

Relatório com todas as regiões de maiores riscos que precisam de laudos geológicos também deve ser entregue nas próximas semanas. Realização de curso gratuito de capacitação voltado a condutores de turismo náutico também é mencionado em videoconferência

As áreas de ecoturismo consideradas em situação crítica serão mapeadas pelo Governo de Goiás, por meio da Agência Estadual de Turismo (Goiás Turismo). A decisão foi acertada durante reunião entre Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo (Fornatur) e Ministério do Turismo, nesta segunda-feira, 10, informa o presidente Fabrício Amaral. O objetivo é tomar medidas para reduzir a incidência de riscos de acidentes, como o ocorrido no último sábado, 8, em Capitólio, Minas Gerais. 

Os Estados reivindicam a inclusão do setor no Plano Nacional de Proteção e Defesa Civil. Nas próximas semanas, os Estados também devem elaborar um relatório com todas as áreas de risco que precisam de laudos geológicos. O levantamento será entregue pelo Fornatur ao Ministério do Turismo (MTur). Outra medida defendida pelos dirigentes estaduais é a inclusão do Turismo no Plano Nacional de Proteção e Defesa Civil. O Fornatur se colocou à disposição do MTur na tomada de medidas urgentes para prevenir acidentes.

Em videoconferência, entre o presidente da Goiás Turismo, que também preside o Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo (Fornatur), Fabrício Amaral, acompanhado de secretários de vários Estados brasileiros, com o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, foi trataram do acidente ocorrido em Minas Gerais. Além disso, foi debatido medidas que podem ser adotadas, em nível nacional, para evitar a ocorrência de tragédias durante a prática de ecoturismo.

O presidente do Fórum, Fabrício Amaral, que liderou a reunião, disse que o levantamento vai abranger as áreas de lagos, cachoeiras, rios, cânions e cavernas. “É um trabalho minucioso e caro. Estados e Governo Federal vão dar as mãos no sentido de apoiar com estudos e intervenções, essencialmente nos locais mais críticos”, informou.

Além de solicitar que Estados e municípios incluam pontos turísticos prioritários para realização de estudos geológicos e de prevenção de riscos, o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, informou que irá disponibilizar um curso gratuito de capacitação voltado a condutores de turismo náutico. “Essa capacitação, que nós já vínhamos desenvolvendo, é de fundamental importância. Não apenas pelo momento, mas, para a inclusão no mercado de trabalho de profissionais que dêem segurança ao turista”, afirmou.

Também participaram da reunião, o presidente da Embratur, Carlos Brito; secretários de Turismo e representantes de órgãos oficiais do setor do Acre, Amapá, Amazonas, Ceará, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins, além de diretores do Corpo de Bombeiros e de Defesas Civis estaduais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.