Goiás toma medidas de enfrentamento à violência contra mulheres

Ronaldo e Gracinha Caiado apelam para que população denuncie qualquer caso de agressão

Gracinha Caiado discursa contra a violência sofrida por mulheres. Foto: Reprodução

O Governador Ronaldo Caiado adotou tom rígido ao tratar da violência contra a mulher em Goiás. “Não vou admitir qualquer nível de agressão contra mulher em nosso Estado. Já nomeei o delegado que vai tratar única e exclusivamente de estupradores. É uma ordem de governo”, afirmou a autoridade política.

O discurso de Caiado foi realizado nesta sexta-feira, dia 23, na inauguração da Sala Lilás na 1ª Coordenação Regional de Polícia Técnico-Científica (1ªCRPTC–Aparecida), em Aparecida de Goiânia. Na ocasião, o governador também anunciou a criação do Grupo Especial de Investigação em Estupros.

Ronaldo caiado fez um apelo para que as pessoas denunciassem qualquer caso de agressão contra mulheres. “Temos que fazer um tratamento corretivo, à altura, para que as pessoas não tenham a sensação de impunidade” destaca.

O secretário de Segurança Pública, Rodney Miranda, ressaltou a importância de o Estado estar cada vez mais à frente no combate à violência contra a mulher “[O crime de agressão] É cometido dentro de casa, do lar, em locais fechados, onde a prevenção é muito difícil. As pessoas que, por ventura, quiserem cometer esse tipo de crime vão ter de pagar”, complementa o secretário.

Coordenadora do Gabinete de Políticas Sociais e presidente de honra da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), a primeira-dama Gracinha Caiado relembrou o lançamento do Pacto Goiano pelo Fim da Violência Contra a Mulher, em novembro do ano passado, que originou um conjunto de medidas para proteger mulheres vítimas de violência.

A primeira-dama levantou dados que apontam que 52% das mulheres não denunciam o agressor ou não procuram ajuda. “Queremos dizer a todas as goianas que estão em alguma situação de violência que existe sim uma saída para ela”. Gracinha foi categórica ao afirmar: “em briga de marido e mulher não se mete a colher, se mete a algema”.

Sala Lilás

A Sala Lilás é um espaço que visa garantir atendimento de forma qualitativa a todas as mulheres e crianças vítimas de violência e evitar a revitimização. Essa é o segundo espaço criado nesses formatos em Goiás, tendo a primeira Sala Lilás sido inaugurada em Goiânia, em novembro do ano passado.

Ela atua no âmbito da Superintendência de Polícia Técnico-Científica (SPTC) da Secretaria de Segurança Pública (SSP). Conforme orienta a Lei Maria da Penha, o atendimento estará a cargo de uma equipe de médicas especializadas, em um ambiente mais acolhedor e com recepção separada da geral do Instituto Médico Legal (IML).

O atendimento na Sala Lilás é pensado para ser multidisciplinar, com enfermeiras, psicólogas e assistentes sociais. Para isso, foi firmado um termo de cooperação com a Secretaria de Saúde. “Assim que nós fomos acionados, disponibilizamos imediatamente todo o aparato profissional. A Secretaria de Saúde se coloca como uma grande parceira da Secretaria de Segurança Pública”, frisou o secretário Ismael Alexandrino.

Polícia Técnico-Científica

Na cerimônia de inauguração da Sala Lilás de Aparecida de Goiânia, Ronaldo Caiado entregou 250 pistolas para uso imediato de policiais da Superintendência de Polícia Técnico-Científica (SPTC). “A Polícia Científica, como polícia, tem que proteger. Ela é vítima muitas vezes de ataques e não pode se expor sem ter condição de legítima defesa”, declarou o estadista.

O deputado estadual Rafael Gouveia, que também estava presente no evento, destacou que Goiás tem uma Polícia Técnico-Científica “muito capacitada, o que é essencial para os avanços dos índices de segurança, pois sem eles muitos crimes cometidos não seriam desvendados”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.