Goiás terá de qualificar mais de 300 mil trabalhadores em profissões industriais até 2023

Mapa do Trabalho Industrial mostra que energia e metalmecânica estão entre as áreas que mais vão exigir capacitação de técnicos

Foto: Reprodução

O Estado de Goiás terá de qualificar 322.953 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e 2023. Os dados são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) para subsidiar a oferta de cursos da instituição.

A demanda prevista pelo estudo inclui, em sua maioria, o aperfeiçoamento (formação continuada) de trabalhadores que já estão empregados. Em parcela menor (28%) estão aqueles que precisam de capacitação para ingressar no mercado de trabalho (formação inicial). Nesse grupo estão pessoas que vão ocupar tanto novas vagas quanto postos já existentes e que se tornam disponíveis devido a aposentadoria, entre outras razões.

“O profissional qualificado de acordo com a necessidade do mundo de trabalho tem mais chances de manter o emprego e também pode conseguir uma nova oportunidade mais facilmente quando as vagas forem oferecidas”, afirma o diretor-geral do Senai, Rafael Lucchesi.

Formação de técnicos

As áreas que mais vão demandar a capacitação de profissionais com formação técnica em Goiás são transversais; energia e telecomunicações; metalmecânica; logística e transporte; e eletroeletrônica. Profissionais com qualificação transversal trabalham em qualquer segmento, como técnicos em eletrotécnica e técnicos de controle da produção.

Áreas com maior demanda por formação – Técnicos

Áreas Demanda 2019-2023
Transversais 15.549
Energia e telecomunicações 5.007
Metalmecânica 4.321
Logística e transporte 3.751
Eletroeletrônica 3.269

Ocupações industriais com maior demanda por formação dentro e fora da indústria – Técnicos

Ocupações Profissionais a serem qualificados  
Técnicos de controle da produção 6.503
Técnicos de planejamento e controle de produção 3.272
Técnicos em eletricidade e eletrotécnica 2.213
Técnicos em eletrônica 2.067
Supervisores da construção civil 1.984
Técnicos de laboratório industrial 1.668
Técnicos em operação e monitoração de computadores 1.525
Técnicos de desenvolvimento de sistemas e aplicações 1.485
Técnicos em transportes rodoviários 1.373
Supervisores da fabricação de alimentos, bebidas e fumo 1.294

Qualificação profissional

Já os cursos de qualificação são indicados a jovens ou profissionais, com escolaridade variável de acordo com o exercício da ocupação, e buscam desenvolver novas competências e capacidades. As áreas que mais vão exigir a capacitação de trabalhadores com esse tipo de formação, de acordo com o Mapa do Trabalho Industrial 2019-2023 serão:

Áreas com maior demanda por formação – Qualificação (+200h)

Áreas Demanda 2019-2023
Metalmecânica 20.201
Alimentos 10.547
Confecção e vestuário 8.733
Energia e telecomunicações 7.858
Química, borracha, petroquímica, petróleo, gás e fármacos 5.233

Áreas com maior demanda por formação – Qualificação (-200h)

Áreas Demanda 2019-2023
Logística e transporte 40.345
Transversais 36.823
Construção 31.189
Alimentos 23.978
Metalmecânica 22.123

Segundo o Mapa, entre as ocupações que exigem cursos de qualificação e que mais vão demandar profissionais capacitados estão operadores de máquinas para costura de peças do vestuário e mecânicos de manutenção de veículos automotores:

Ocupações industriais com maior demanda por formação dentro e fora da indústria – Qualificação (+200h)

Ocupações Profissionais a serem qualificados  
Operadores de máquinas para costura de peças do vestuário 7.023
Mecânicos de manutenção de veículos automotores 5.746
Mecânicos de manutenção de máquinas industriais 5.450
Instaladores e reparadores de linhas e cabos elétricos, telefônicos e de comunicação de dados 4.981
Operadores de máquinas e instalações de produtos farmacêuticos, cosméticos e afins 4.554
Padeiros, confeiteiros e afins 3.800
Trabalhadores na fabricação e conservação de alimentos 3.029
Eletricistas de manutenção eletroeletrônica 2.896
Trabalhadores de instalações elétricas 2.799
Operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos e afins 2.562

Ocupações industriais com maior demanda por formação dentro e fora da indústria – Qualificação (-200h)

Ocupações Profissionais a serem qualificados  
Alimentadores de linhas de produção 31.955
Motoristas de veículos de cargas em geral 29.505
Magarefes e afins 18.534
Trabalhadores da mecanização agrícola 13.063
Ajudantes de obras civis 11.713
Trabalhadores de estruturas de alvenaria 7.260
Trabalhadores operacionais de conservação de vias permanentes (exceto trilhos) 6.497
Apontadores e conferentes 5.746
Trabalhadores de embalagem e de etiquetagem 4.442
Trabalhadores de soldagem e corte de ligas metálicas 4.382

Em relação ao nível superior, as áreas de gestão, informática e construção serão as que mais vão precisar qualificar profissionais no período de 2019 a 2023, de acordo com o Mapa do Trabalho:

Áreas com maior demanda por formação – Superior

Áreas Demanda 2019-2023
Gestão 7.117
Informática 6.126
Construção 1.815
Logística e transporte 873
Metalmecânica 833

Ocupações industriais com maior demanda por formação dentro e fora da indústria – Superior

Ocupações Profissionais a serem qualificados
Analistas de tecnologia da informação 4.859
Gerentes de produção e operações em empresa da indústria extrativa, de transformação e de serviços de utilidade pública 1.977
Engenheiros civis e afins 1.398
Engenheiros de produção, qualidade, segurança e afins 683
Gerentes de tecnologia da informação 668
Gerentes de suprimentos e afins 553
Administradores de tecnologia da informação 546
Engenheiros eletricistas, eletrônicos e afins 484
Gerentes de manutenção e afins 421
Engenheiros mecânicos e afins 326

Metodologia

O Mapa do Trabalho Industrial é elaborado a partir de cenários que estimam o comportamento da economia brasileira e dos seus setores; projeta o impacto sobre o mercado de trabalho e estima a demanda por formação profissional industrial (formação inicial e continuada). As projeções e estimativas são desagregadas no campo geográfico, setorial e ocupacional, e servem como parâmetro para o planejamento da oferta de cursos do Senai.

O método foi apontado ainda pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) como exemplo de experiência bem sucedida na identificação da formação profissional alinhada às necessidades futuras das empresas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.