Goiás tem três municípios nas melhores posições do ranking de Valor Adicional Agropecuário

Rio Verde, Jataí e Cristalina ocupam, respectivamente, as terceiras, sétima e 12ª posições. Ao todo, o Estado atingiu o montante, em 2019, de R$ 208 bilhões em produção de riquezas, o que representa incremento de quase R$ 13 bilhões em relação a 2018

O município de Rio Verde, localizado a 232 quilômetros de Goiânia, está na terceira posição do ranking nacional quando se trata de Valor Adicionado (VA) Agropecuário. Além dele, Jataí e Cristalina ocupam o sétimo e 12º lugares. Pesquisa publicada pelo Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (IMB) mostra que esses foram municípios definitivos para a economia goiana apresentasse crescimento de 2,2% em 2019 e de 1,4% em 2020.

Os dez municípios com maior participação No setor representam 32,7% da renda gerada, sendo: Rio Verde, Jataí, Cristalina, Mineiros, Chapadão do Céu, Paraúna, Montividiu, Ipameri, Catalão e Goiatuba. O município de Rio Verde, primeiro no ranking estadual e terceiro do nacional, se destaca como maior produtor de cereais, na silvicultura e extração vegetal. Além de ser o maior criador de suínos e aves do Estado. Ainda em 2019, a agropecuária goiana obteve desempenho positivo de 1,4%, registrando um Valor Adicionado (VA) de R$ 21,176 bilhões e mantendo a participação de 11,4% na estrutura produtiva.

No ranking dos 100 maiores municípios brasileiros, segundo o Produto Interno Bruto (PIB), Goiânia se posicionou na 14ª posição, Anápolis na 76ª e Aparecida de Goiânia na 79ª. O valor do PIB per capita de Goiás foi de R$ 29 bilhões em 2019, porém 82 municípios goianos superaram esse valor. O valor do PIB per capita de Goiânia, por exemplo, foi de R$ 34 mil ou seja R$ 5 mil a mais que o estadual.

Os dez maiores PIBs per capita de 2019 se destacam por terem uma economia baseada, sobretudo, nas atividades da Agropecuária e Industria, assim como pela combinação do valor do PIB com baixa aglomeração populacional. Goiás atingiu o montante, em 2019, de R$ 208 bilhões em produção de riquezas, o que representa incremento de quase R$ 13 bilhões em relação a 2018.

Já na indústria, as cidades estão entre os cem maiores Valores Adicionados da Indústria brasileira, ocupando a 33ª, 60ª e 100ª posições. A indústria goiana produziu um valor apurado de R$ 39 bilhões em 2019. Na ocasião, a indústria obteve ganho de participação na economia goiana, representando 21,2% das economias geradas, com destaque para as áreas de transformação e da construção civil.

“Os avanços mapeados pelo estudo reforçam a força do agro na economia goiana, mas também evidenciam o papel modernizador do Estado, ao contar com o avanço da atividade industrial no PIB”, afirmou o secretário-geral de Governo, Adriano Rocha Lima.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.