Goiás tem a segunda pior geração de emprego desde 2004

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados mostram que o Estado criou 2.077 vagas em junho, acima apenas do mesmo mês de 2015

O número de vagas de empego com carteira assinada gerada em junho é o segundo pior desde 2004 em Goiás. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta quinta-feira, 25, o saldo de 2.077 postos de trabalho formais (entre admissões e demissões) só superou o de 2015 (1.863) – veja quadro abaixo.

A indústria de transformação, sozinha, teve 75% do saldo do mês, com 11.559 novas vagas. Também tiveram desempenho positivo os setores de serviços (436 vagas), comércio (436) e Construção Civil (336). Já a agropecuária fechou 836 vagas. No total, de acordo com o Caged, 47.644 pessoas foram contratadas com carteira assinada em Goiás no mês de junho. Outras 45.567 mil foram demitidas.

No acumulado do ano, o saldo de empregos em Goiás é de 27.760 vagas de trabalho formal. O setor que mais contratou no primeiro semestre foi o de serviços, com 9.933 postos.  Já o comércio demitiu 969 pessoas a mais que contratou no período.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.