Goiás tem 5º menor custo mensal com presos

Governo prevê que despesas médias diminuam ainda mais em 2022 com no próximo ano como efeito do uso de tornozeleiras. Cada equipamento custa em média R$ 245 por mês. Hoje, 4,6 mil detentos fazem uso dele

O Estado de Goiás tem a quinta menor despesa por preso, segundo levantamento nacional feito pelo Conselho Nacional de Justiça. Aqui, o gasto médio por mês é equivalente a R$ 1.388 por indivíduo. Também aparecem no ranking Pernambuco que, ocupa a primeira colocação com despesa de R$ 955 por pessoa; seguido por Rondônia, Pará e São Paulo, cujos gastos são de, respectivamente, R$ 1.227, R$ 1.283 e R$ 1.373.

O relatório, resultado de uma parceria com o Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), identificou que, em média, no país o custo mensal é de R$ 2,1 mil por pessoa presa, com variações em gastos de até 340% entre unidades da federação. O gasto pela população prisional de cada estado, o valor médio é de R$ 1,8 mil.

Um dos requisitos que levou a esse ranking, segundo o diretor-geral de Administração Penitenciária em substituição, Aristóteles Camilo El Assal, é a ampliação dos programas de inserção social. Ele citou que os projetos voltados para a ampliação de vagas de trabalho e de educação para população privada de liberdade passaram a ser foco do Governo de Goiás, inclusive com metas previstas no Programa Goiás de Resultados, criado em 2019 pelo governador Ronaldo Caiado.

A Gerência de Produção Agropecuária e Industrial da DGAP conta, atualmente, com cinco mil detentos trabalhando na unidade prisional, resultando em mais de R$ 43 milhões que podem ser revestidos em melhorias nas estruturas da casa. Além disso, o reeducando empregado gera uma economia média de R$ 8,6 mil por ano , totalizando mais de R$ 43 milhões, que podem ser revertidos em melhorias nas estruturas das unidades prisionais e construção de novos presídios.

A previsão da DGAP é que as despesas médias por preso diminuam ainda mais no próximo ano, graças ao avanço no uso de tornozeleiras. Cada tornozeleira custa em média R$ 245 por mês, e aproximadamente 4,6 mil detentos fazem uso dele. A lei sancionada isenta de cobrança os presos que são beneficiários da assistência judiciária gratuita.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.