Goiás registra primeiro caso suspeito de febre amarela em 2017

Exames realizados até o momento não confirmaram suspeita; no total, já foram notificados 550 casos da doença no país

Um boletim divulgado pelo Ministério da Saúde nesta quinta-feira (26/1) apresentou, pela primeira vez em 2017, casos suspeitos de febre amarela em Goiás e no Mato Grosso do Sul com um registro cada. No total, segundo o Ministério, já foram notificados 550 casos da doença desde o início do ano.

Segundo a Secretaria da Saúde de Goiás, o caso goiano está sendo acompanhado e os exames feitos até o momento não confirmaram febre amarela. Mais informações sobre o perfil epidemiológico da doença em Goiás serão dadas na sexta-feira (27) pela pasta.

Dos 550 casos notificados no país, 72 foram confirmados, 23 descartados e 455 continuam sob investigação. Minas Gerais tem 502 notificações da doença, o Espírito Santo, 33; a Bahia, sete; e São Paulo, três. O Distrito Federal registrou três suspeitas de febre amarela, mas todas foram descartadas. Entre os pacientes com com casos suspeitos, 105 morreram, 98 deles em Minas Gerais. Ao todo, 40 mortes foram confirmadas para a doença: 37 em Minas e três em São Paulo.

Imunização

Áreas com e sem recomendação de vacina de febre amarela | Imagem: UVR/CGDT/DEVEP/SVS/MS

A vacina contra a doença é oferecida em Goiás e mais 18 estados do país que participam da área de recomendação para a imunização. Todas as pessoas que vivem nesses locais devem tomar duas doses da vacina ao longo da vida.

Também precisam se vacinar, neste momento, pessoas que vão viajar ou vivem nas regiões que estão registrando casos da doença: leste de Minas Gerais, oeste do Espírito Santo, noroeste do Rio de Janeiro e oeste da Bahia.

Na quarta-feira (25),  o Ministério da Saúde anunciou o reforço de 11,5 milhões de doses. Além destas, este ano foram entregues 5,5 milhões de doses aos estados. Em anos em que não houve surto, foram distribuídas entre 800 mil e 1 milhão de doses do imunizante. (Com informações da Agência Brasil)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.