Goiás pode receber projetos-piloto do ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos

Ministra Damares Alves fará visita ao Estado para conhecer os projetos sociais já em andamento e que visam o combate à violência doméstica, abuso de crianças e adolescentes e melhorias no sistema socioeducativo

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves / Foto: Reprodução

A secretária de Desenvolvimento Social de Goiás, Lúcia Vânia, se reuniu, na última quarta-feira, 5, em audiência virtual, com a ministra da Mulher, Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves. À ministra, Lúcia Vânia destacou os projetos que estão sendo desenvolvidos pelo Governo de Goiás para combater a violência doméstica e o abuso de crianças e adolescentes. Além disso, também foi destacadas as ações de melhoria do sistema socioeducativo.

Damares demonstrou interesse em implantar programas do Governo Federal em Goiás, como a Casa da Mulher Brasileira, a construção de unidades socioeducativas e a implantação de ações para combater a violência doméstica e o abuso sexual infantil. “Nós conhecemos o seu compromisso com a causa”, destacou a ministra, que acertou uma visita em Goiás para conhecer as ações da Seds in loco.

“Nós podemos fazer pilotos em Goiás e replicarmos em todo o país. Podemos fazer muitas coisas juntas. Vocês já saíram na frente, nós acompanhamos [o trabalho da secretaria]”, disse Damares. Para a ministra, a Casa da Mulher Brasileira “é um instrumento poderoso” no combate à violência e na proteção de vítimas.

A secretária pediu apoio do ministério para a interiorização de projetos que já vêm sendo desenvolvidos com sucesso no Estado, como a Patrulha da Lei Maria da Penha, a Delegacia da Mulher e a Sala Lilás nos Institutos Médicos Legais (IML). Ações do Pacto Goiano de Combate à Violência Contra a Mulher, lançado em novembro de 2019 pelo Governo de Goiás.

Lúcia Vânia também disse estar preocupada com o elevado índice de abusos sexuais de crianças e adolescentes em Cavalcante, a maior comunidade quilombola do Estado. “Acredito que nós teríamos condições de colocar todo esse trabalho em andamento”, disse a titular da Seds. “Em Cavalcante temos a nossa Secretaria de Igualdade Racial que está executando alguns projetos com as mulheres quilombolas. Vamos marcar uma reunião com as minhas secretárias aí em Goiás”, afirmou Damares.

A ministra revelou preocupação com as mulheres jovens da geração “nem nem”, que não estão na escola nem trabalhando. “Essa geração, agora no pós-pandemia, vai crescer muito”, lamentou Damares. “A gente não tem no Brasil uma política pública para mulher jovem”, acrescentou. Lúcia Vânia destacou sobre os programas desenvolvidos em Goiás para a juventude, como o Juventude Empreendedora, Embaixadores da Cidadania e o Programa Meu Primeiro Site, em parceria com a Microsoft.

Socioeducativo

A reformulação do sistema socioeducativo em Goiás também esteve na pauta da reunião. “A gente tem o desafio da construção de unidades no Brasil inteiro e estamos priorizando a construção em Goiás. Os meninos precisam ser abrigados, precisamos ressocializar e investir no sistema como um todo. Não construir depósitos de jovens”, disse Damares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.