Goiás mantém 4ª posição no ranking de geração de empregos formais

Estado tem saldo positivo de 39 mil vagas de trabalho no ano, atrás apenas de São Paulo, Minais Gerais e Santa Catarina

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta quarta-feira (27/12) pelo Ministério do Trabalho mostram que Goiás é o quarto Estado com melhor saldo positivo na geração de empregos formais (com carteira assinada) em 2017. De janeiro a novembro, foram 39.319 vagas de saldo, atrás apenas de São Paulo, com 109.056, Minas Gerais, com 61.120, e Santa Catarina, com 51.550.

O número representa uma alta de 3,31% no número de empregados com carteira assinada no Estado, em relação a dezembro de 2016. Proporcionalmente, Goiás também está na terceira posição, perdendo apenas para o Mato Grosso, com 4% de empregados a mais que em dezembro do ano passado, e Roraima, que ficou em primeiro lugar, com saldo de 4,79%.

A terceira posição de Goiás no saldo de empregos formais no Brasil ocorre mesmo diante de um saldo negativo em novembro de 2017. No mês passado, o total de admissões no Estado foi de 40.401, enquanto 46.564 pessoas foram desligadas. O saldo negativo de 6.163 vagas pode ser explicado por questões sazonais, especialmente por causa da entressafra agrícola, mas tem um lado positivo, pois é o menor para o mês de novembro desde 2010. Em todo o País, o resultado foi de 1.111.798 admissões diante de 1.124.090 demissões – o que significa a primeira queda no ano.

Setores – Em Goiás, os setores com maior número de desligamentos em novembro foram a indústria da transformação, que teve saldo negativo de 2.725 vagas (1.697 delas ligadas ao setor farmoquímicos), a agropecuária, com saldo negativo de 2.765 vagas, e a construção civil, com 1.580.

Por outro lado, o comércio contratou mais que demitiu: 11.592 trabalhadores com carteira assinada foram admitidos, enquanto 10.008 foram desligados, o que representa um saldo de 1.584 postos de trabalho formal. Praticamente, todos os postos de trabalho com carteira assinada foram no comércio varejista.

No acumulado do ano, o setor de serviços tem o melhor saldo, com 13.931 empregados a mais que em dezembro de 2016. A indústria da transformação, com saldo de 8.637 vagas, e a agropecuária, com 6.916, vêm em seguida.

Em relação aos municípios, Goiânia foi o que encerrou novembro com melhor saldo positivo: 6.988 contratações de saldo. Aparecida de Goiânia teve 4.306 e Goianésia 2.424.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.