Goiás é um dos únicos Estados a alcançar meta do Ideb para o Ensino Médio

Segundo números divulgados pelo Ministério da Educação, a rede estadual de ensino em Goiás atingiu o índice previsto para 2015

Coletiva de imprensa no MEC | Foto: reprodução

Coletiva de imprensa no MEC | Foto: reprodução

O ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM-PE), apresentou, na manhã desta quinta-feira (8/9), os números do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) relativos a 2014 e 2015.

Das metas estabelecidas, foi cumprida apenas a dos anos iniciais do ensino fundamental, etapa que vai do 1º ao 5º ano. O ensino médio tem a situação mais crítica, com o índice estagnado desde 2011.

O Ideb é um indicador de qualidade do ensino no país, com base em dados sobre aprovação e desempenho escolar obtidos por meio de avaliações do MEC. Desde a criação do indicador, foram estabelecidas metas que devem ser atingidas a cada dois anos por escolas, prefeituras e governos estaduais.

Nos anos iniciais do ensino fundamental, a meta é cumprida desde 2005, quando o índice começou a ser calculado. Para 2015, a meta estipulada é de 5,2. A etapa alcançou 5,5. Nos anos finais do ensino fundamental, do 6º ao 9º ano, a meta foi descumprida pela primeira vez em 2013. Em 2015, o índice esperado de 4,7 também não foi alcançado. A etapa registrou um Ideb de 4,5.

No ensino médio, a meta não apenas não é alcançada desde 2013, como está estagnada em 3,7 desde 2011. A estabelecida para 2015 é de 4,3. “O Brasil está mal e vai se distanciando das metas fixadas pelo segundo Ideb consecutivo, lamentavelmente”, disse o ministro.

Apenas os Estados de Amazonas, Piauí, Pernambuco e Goiás alcançaram a meta proposta para 2015, informou o MEC. Os alunos goianos obtiveram média 3,8 — exatamente o proposto para o período, informa o estudo.

Em entrevista à imprensa, Mendonça Filho anunciou que encaminhará um projeto de lei para reforma do Ensino Médio. Uma das principais propostas é a implementação de escolas em tempo integral.

Mendonça Filho disse que a situação do Ensino Médio do Brasil é “caótica” e o quadro é muito preocupante. Para ele, a evasão escolar é um problema gravíssimo no ensino médio, o aluno está desestimulado e a mudança no currículo é “essencial”.

O objetivo do ministério é que a proposta seja encaminhada e votada no Congresso ainda em 2016. “Vamos apresentar ao presidente Temer uma proposta de educação em tempo integral focada no ensino médio. Já passou da hora de oferecermos uma resposta adequada para resolver esse problema e atender as necessidades dos jovens”, diz Mendonça Filho.

Quanto aos números do ensino fundamental, a avaliação do MEC é de que, apesar de cumpridas as metas, ainda existe grande deficiência dos estudantes em disciplinas essenciais. “A meta fixada para os anos iniciais foi cumprida, mas se verifica que as crianças ainda têm deficiência em português e matemática”, disse o ministro.

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.