“Goiás é centro da relação comercial com outros países”, diz embaixador de Bangladesh

Diplomata Mohamed Quayes afirmou que o Porto Seco de Anápolis é uma das estruturas mais importantes do território brasileiro

Embaixador de Bangladesh no Brasil, Mohamed Mijarul Quayes, e governador Marconi Perillo (PSDB) discutiram início de acordos comerciais entre o país e Goiás | Foto: Henrique Luiz

Embaixador de Bangladesh no Brasil, Mohamed Mijarul Quayes, e o governador Marconi Perillo (PSDB) discutiram início de acordos comerciais entre Goiás e o país asiático | Foto: Henrique Luiz

Em visita ao governador Marconi Perillo (PSDB) na tarde desta terça-feira (31/5) em Goiânia, o embaixador de Bangladesh no Brasil, diplomata Mohamed Mijarul Quayes, disse que o Porto Seco de Anápolis é hoje uma das estruturas mais importantes do nosso País. O encontro aconteceu no Palácio das Esmeraldas e contou com a presença de representantes das embaixadas de Guiné Bissau e Moçambique, além do consulado de Portugal.

A comitiva internacional participa do Seminário Internacional de Negócios Brasil-África-Bangladesh, que é realizada até quarta-feira (1º/6) na Vila Cultural Cora Coralina, no Centro de Goiânia. Para Mohamed Quayes, o início do ciclo de relações com o Brasil tem Goiás como o ponto mais importante nesse processo.

“Goiás é o centro da relação comercial do Brasil com outros países”, disse o embaixador de Bangladesh. Quayes visitou na segunda-feira (30/5) a cidade de Anápolis, quando conheceu a estrutura e logística do Porto Seco, além da fábrica da Hering.

O embaixador do país asiático afirmou que o Porto Seco representa a conectividade do Estado e de Brasil com o mundo. Ao governador, Quayes sugeriu que as operações da plataforma sejam ampliadas. O diplomata mostrou interesse nas atividades de cana de açúcar ao saber que Goiás é o segundo maior produtor do País.

“Também nos chama muita atenção a indústria da confecção”, afirmou Quayes. O embaixador e a comitiva estiveram também na Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) e visitaram fábricas.

“Acredito que temos muito a oferecer àquele país, em termos de agricultura, infraestrutura e indústrias”, pontuo Marconi, que destacou que o Estado está de portas abertas para fechar acordos comerciais com Bangladesh. (Com informações do Gabinete de Imprensa)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.