Goiás deve bater novo recorde na produção de soja

Estado só perde para o Paraná, Rio Grande do Sul e Mato Grosso. Já com relação ao milho, Goiás mantém a posição de segundo maior produtor nacional

O plantio e a produção de soja em Goiás, o quarto maior produtor nacional de grãos, devem bater novo recorde na próxima safra. Essa é a última estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para 2022. A entidade calcula para Goiás uma área plantada de 3.848.207 hectares e o mesmo valor para área colhida. Caso se confirme, será um novo recorde na série histórica do Estado e um aumento de 3,4% em relação à área plantada de 2021.

A estimativa também refere-se a plantação, que deve ter aumento de 2,5% em relação à 2021. Diante disso, Goiás só perde para o Paraná, Rio Grande do Sul e Mato Grosso. Já com relação ao milho, Goiás mantém a posição de segundo maior produtor nacional, atrás apenas do Mato Grosso. A área plantada da primeira safra para 2022 deverá ser de 172.832 hectares em Goiás, redução de 3,9%. A área plantada da segunda safra tem leve alta de 0,7% em relação à de 2021, para 1,63 milhão de hectares. Quanto à produção, a estimativa é de 1,4 milhão de toneladas para milho primeira safra e 10,27 milhões para a segunda safra.

Ainda em 2022, a previsão para a safra de cana-de-açúcar é de uma área plantada de 936,5 mil hectares, crescimento de 2%, e aumento de 1,5% no rendimento desta cultura, passando para 80,2 mil kg/ha em 2022. Assim, é prevista uma alta de 3,4% na produção da cana-de-açúcar no Estado, alcançando o total de 75,1 milhões de toneladas. No geral, a segunda estimativa do IBGE prevê área plantada de 6,2 milhões de hectares de cereais, leguminosas e oleaginosas em Goiás, 2,2% superior à área de 2021.

Devido ao aumento na área plantada, espera-se produzir 26,9 milhões de toneladas no Estado, alta de 6,4% frente à safra anterior. No Brasil, também é previsto um crescimento na área plantada de 2,2%, alcançando 70,5 milhões de hectares e de 10,0% na produção, levando a uma safra recorde de 278 milhões de toneladas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.