Goiano é escolhido para apitar jogo de copa do mundo

Pela primeira vez e, em um país Árabe, comissão de arbitragem terá mulheres e entre elas uma brasileira

Goiano de Teresina de Goiás, Wilton Pereira de Sampaio | Foto: Cesar Greco

Goiano de Teresina de Goiás, Wilton Pereira de Sampaio, 40, foi escolhido para apitar jogo na copa do mundo de 2022, que acontecerá no Qatar, país Árabe, em novembro e dezembro, e não no meio do ano, como de costume. A mudança no tradicional calendário da competição ocorre por causa do intenso calor nos meses de junho e julho, onde as temperaturas podem ser bastante elevadas e inviáveis para a prática do futebol. Por lá, o pico do calor vai de março a outubro, podendo facilmente bater a casa dos 50°C. Já de novembro a fevereiro, as temperaturas caem consideravelmente, chegando a 10°C.

Esta copa do mundo já está predestinada a entrar para a história quebrando alguns paradigmas e preconceitos, principalmente contra as mulheres, por se tratar de um país Árabe. Sobretudo porque terá várias mulheres na comissão de arbitragem da FIFA. Serão três árbitras e três bandeirinhas e, dentre as auxiliares, estará pela primeira vez em uma copa do mundo uma brasileira, Neuza Back, natural de Santa Catarina, 37. “É muito legal, indescritível, é um momento, assim, de alegria de gratidão e um pouco também de senso de responsabilidade, por eu ser a única mulher (brasileira). Eu sei que preciso ir lá e representar todas nós muito bem”, afirmou ela.

Na escolha dos 36 árbitros,  o Brasil foi contemplado com dois bons nomes, fato que não ocorre desde a copa de 1950. Além do goiano Wilton Pereira de Sampaio, o paulista da cidade de Santa Bárbara d’Oeste, Raphael Claus, 42, apitará os jogos. Para Wilton, não será a primeira vez em uma copa, já que esteve na Rússia como árbitro de vídeo.

A FIFA realmente fez boas escolhas quanto aos nomes brasileiros. Os dois tem a seu favor boas atuações, não perfeitas, mas normalmente são elogiados até pelo time perdedor. Porém, era esperado que o nome do gaúcho Anderson Daronco, “o parrudo”, figurasse nesta lista. Daronco, é considerado o melhor e mais respeitado árbitro do futebol brasileiro, dentro e fora de campo. Na verdade, o nome dele era bastante falado e constava na lista da FIFA, por contar com grande prestígio na entidade.

Contudo, a Federação Peruana de futebol (FPF) entrou com representação contra a escolha por Daronco. O juiz se tornou inimigo dos peruanos por conta do jogo entre Peru e Uruguai, em Montividéu, pelas eliminatórias, onde o Peru perdeu por 1 a 0. Para os peruanos, Daronco deixou de olhar no VAR um lance, aos 46 minutos dos segundo tempo, que poderia acarretar no empate e um ponto ao time do Peru, quando em um cruzamento a bola poderia ter ultrapassado totalmente a linha do gol. 

Anderson, no entanto, optou por não ir ao VAR e, acreditando tão somente na conversa ali, no ponto de ouvido com os árbitros de vídeo, que afirmaram que “a bola não entrou toda, não foi gol”, ele decidiu não assinalar o tento. Mesmo com os áudios das conversas tendo se tornado público, os peruanos não isentaram Daronco da culpa e melaram ida dele para a copa. Por causa desse lance, o Brasil perdeu a oportunidade de, assim como em 1950, ter o melhor juiz em uma copa do mundo e com grandes chances de apitar a final da copa do Qatar.

Cilas Gontijo é estudante de Jornalismo na Faculdade Araguaia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.