Goianienses voltam às ruas em defesa da Polícia Federal e de Moro

De acordo com a PM, cerca de 300 pessoas foram para a porta da PF, no Setor Bela Vista, para apoiar o juiz, os delegados e policiais que trabalham na Operação Lava Jato

Entre os manifestantes, foto do juiz federal Sérgio Moro segurando um cartaz com a frase "o Brasil é nosso" fez sucesso e muita gente tirou foto abraçada com a imagem do magistrado | Foto: Alexandre Parrode

Entre os manifestantes, foto do juiz federal Sérgio Moro segurando um cartaz com a frase “o Brasil é nosso” fez sucesso e muita gente tirou foto abraçada com a imagem do magistrado | Foto: Alexandre Parrode

Um grupo de cerca de 300 goianienses trocou parte do tempo de folga na tarde deste domingo (20/3) e foi para a porta da sede da Superintendência da Polícia Federal (PF), em Goiânia, no Setor Bela Vista, realizar uma manifestação em defesa da PF e do juiz federal Sérgio Moro, da Operação Lava Jato.

O grupo levou cartazes, bandeiras, faixas, banners e frases de apoio ao magistrado, defendeu o trabalho dos policiais federais e se mostrou contrário à corrupção. Também teve espaço para quem queria protestar contra o PT, a presidente Dilma Rousseff (PT) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A manifestação começou por volta das 14h30 e teve coro, gritos de apoio ao juiz Sérgio Moro, à Polícia Federal e cartazes com frases “Nós somos Moro”, “DesMOROnou” e “Moro em nossos corações”. De verde e amarelo, cartazes como “Lula ladrão”, boneco pixuleco — com a caricatura do Lula vestido de presidiário e o número 13-171 de detento –, buzinas, vuvuzelas, apitos, balões e foram levados para o ato em apoio à Operação Lava Jato.

Alguns manifestantes levaram letras que formavam as palavras “Moro e PF” para a porta da Polícia Federal. No meio do ato, os participantes deram as mãos e realizaram um abraço na pista da avenida em frente à Superintendência da corporação para demonstrar apoio à Polícia Federal.

“Moro e PF, afronta se enfrenta com fibra de herói de gente brava. Renuncia”, dizia a frase mostrada pelos participantes da manifestação, que podiam comprar buzinas e apitos de um vendedor ambulante. Outro comércio aconteceu no momento do ato, mas esse era apenas para ajudar com o calor: o carrinho de picolé.

No alto do prédio da PF, um homem que se identificou como policial federal segurava uma bandeira nacional e demonstrava apoio à manifestação. Na rua, outro participante do ato usava identificação da Polícia Federal no pescoço.

Entre outras frases, “Não à corrupção” foi um dos cartazes que ficou quase o tempo todo perto do boneco com alusão ao ex-presidente Lula preso. Os manifestantes mostraram animação e fizeram uma ola no meio da avenida. Depois teve oração, com o Pai Nosso.

Protestos

Na hora de falar mal dos políticos, o foco era o PT, Lula e Dilma, mas sobrou pra muito mais gente. Além do Partido dos Trabalhadores, PMDB, PSDB, DEM e PP foram citados pelos manifestantes como partidos nos quais eles não confiam. Outros políticos que tiveram seus nomes lembrados foram o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o senador Aécio Neves (PSDB-MG), o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) “e todos os corruptos”. “Têm que ir para a cadeia”, defenderam. (Com informações de Alexandre Parrode)

Assista aos vídeos de como foi a manifestação na porta da Polícia Federal em Goiânia:

Veja galeria de fotos da manifestação em apoio ao juiz Sérgio Moro e à Polícia Federal deste domingo (20):

Uma resposta para “Goianienses voltam às ruas em defesa da Polícia Federal e de Moro”

  1. Avatar Moacir Romeiro disse:

    O tal juiz Sérgio Moro não quer instituir o respeito ao dinheiro público, mas tão-somente derrubar, tirar o PT do poder, pois se assim não fosse, ele incriminaria Aécio Neves bem como outros do PSDB/PMDB. Está claro que as informações são selecionadas visando a atingir somente um partido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.