Goiânia testa profissionais da educação para retorno das aulas

Com previsão de retorno das aulas presenciais em um formato híbrido e escalonado, o município já programou as primeiras testagens para os dias 17, 19, 24, 26 e 31 de agosto

Com previsão de retorno das aulas presenciais em um formato híbrido e escalonado, a Prefeitura de Goiânia vai adotar a testagem ampliada de antígeno para Covid-19 para todos os servidores que atuam nas unidades de ensino. O município já programou as primeiras testagens para os dias 17, 19, 24, 26 e 31 de agosto.

A estratégia está alinhada com os critérios preconizados pelos especialistas e órgãos internacionais e foi definida nesta terça-feira, 27, em uma reunião entre o titular da SME, professor Wellington Bessa; o secretário Municipal de Saúde, Durval Ferreira; e a secretária executiva Luana Ribeiro. A audiência contou ainda com a participação do vereador Leo José, representante do Poder Legislativo goianiense.

Segundo o secretário Wellington Bessa, as testagens ampliadas serão realizadas semanalmente nas Coordenadorias Regionais de Educação, unidades situadas nos seguintes bairros: Cidade Jardim, Setor Leste Universitário, Setor Sudoeste, Urias Magalhães e Nova Suíça.

Ao todo, conforme anunciado pelo secretário Durval Pedroso, serão disponibilizados mil testes para cada regional. “Nossas equipes vão testar as comunidades escolares às terças e quintas-feiras e, assim, teremos como identificar as pessoas assintomáticas, colocá-las em isolamento e, com isso, quebrar a cadeia de transmissão do novo coronavírus”, frisou.

Volta às aulas

Em Goiânia, as instituições devem abrir as salas de aula em um modelo híbrido com 50% de capacidade. Antes integrais, os Cmeis funcionarão nos turnos matutino e vespertino. Já os alunos do 1º ao 5º ano farão revezamento diário. Já no ensino fundamental o revezamento será semanal. Nos três níveis, o retorno se dará com aulas presenciais e com o envio de atividades para casa e a utilização do sistema digital de aprendizagem. Os pais e responsáveis terão a opção de escolher também apenas pelo ensino remoto.

Além da capacidade reduzida de atendimento, da entrega de kits de higienização para todas as unidades e dos protocolos de biossegurança que incluem marcações e distanciamento e espaçamento seguro entre os educandos, a SME destinou, de forma descentralizada, quase R$ 2 milhões para as instituições de ensino para a aquisição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Dentre os itens que estão sendo adquiridos pelos gestores das instituições estão calçados, óculos de proteção, luvas de látex, térmica e descartáveis, máscaras descartáveis (PFF-1), aventais de PVC, toucas, tapetes sanitizantes, termômetros digitais e viseiras.

Ainda de acordo com Wellington Bessa, o Plano de Retomada foi elaborado em parceria com os profissionais da Educação, com entidades e sindicatos representativos dos servidores públicos e toda a comunidade escolar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.