Goiânia terá tecnologia 5G até julho de 2022

Capitais Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e o Distrito Federal também são beneficiados nesta primeira fase. Demais cidades de Goiás devem receber o novo padrão de conectividade, de forma escalonada, até 2029

Diferente de outras redes móveis, com o 5G é possível ter mais velocidade de internet e conectar vários objetos ao mesmo tempo | Foto: Divulgação

As capitais de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e o Distrito Federal serão contempladas com a quinta geração de internet móvel, infraestrutura para ampliação da conectividade em municípios e rodovias federais, até julho de 2022. A expansão da tecnologia no setor de telecomunicações será possível em decorrência do leilão do 5G, realizado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), promovido pelo Ministério das Comunicações (MCom), no início de novembro. As demais cidades goianas devem receber o novo padrão de conectividade, de forma escalonada, até 2029. A tecnologia de quinta geração móvel chegará a todas as 467 cidades do Centro-Oeste.

Conforme o edital, as capitais serão as primeiras a receber o 5G, até julho de 2022. Os municípios com mais de 500 mil habitantes serão atendidos até o início de 2023 e, de forma gradual, a cobertura se estenderá aos demais. Os compromissos preveem ainda a cobertura 5G em 57 localidades (que não são sede municipais) da região. Em todo o país, serão 5.570 municípios atendidos e mais 1,7 mil localidades.

No Centro-Oeste, seis operadoras arremataram faixas e fornecerão os serviços de internet móvel. Além da Claro, Vivo e Tim, na região também terá a Winity II, a Brisanet e a Algar Telecom. Para o ministro das Comunicações, Fábio Faria, a chegada das operadoras é um dos resultados positivos do leilão porque trará mais diversidade ao mercado de telecomunicações. “Atraímos novas empresas e isso irá ampliar a concorrência no setor. A disputa pode implicar na redução dos preços para o consumidor”, enfatizou o ministro.

Também estão previstos investimentos para ampliar a rede 4G em localidades, municípios e rodovias que ainda não contam com essa cobertura. Na licitação das faixas de radiofrequência – 700 MHz (megahertz); 2,3 GHz (gigahertz); 3,5 GHz; e 26 GHz – o Governo Federal estabeleceu compromissos que devem ser cumpridos pelas empresas vencedoras para aumentar a conectividade em todo Brasil. O valor econômico obtido com o leilão foi de R$ 47,2 bilhões. Do total, R$ 42,4 bi serão revertidos em investimentos e R$ 4,8 bi irão para os cofres da União.

Serviços

Outro investimento assumido pelas empresas vencedoras é a implantação de redes de fibra óptica em cidades que não contam com a infraestrutura. Esse tipo de cabeamento otimiza a transmissão de dados e a conexão à internet. No Centro-Oeste, 14 municípios receberão a rede. Desses, 13 são do estado de Goiás e um de Mato Grosso do Sul. Mais de 68 mil pessoas serão beneficiadas com a rede de 423,8 mil metros de rede. O prazo para a entrega da rede de transmissão é 31 de dezembro de 2025.

Além disso, com a venda da faixa de frequência de 26 GHz, o Governo Federal assegurou R$ 3,1 bilhões para investimento em conectividade nas escolas públicas de todo o Brasil. A escolha dos projetos será feita pelo Grupo de Acompanhamento do Custeio a Projetos de Conectividade de Escolas (GapeE), a ser formado por representantes do MCom, da Anatel, do Ministério da Educação, e representantes de cada uma das empresas vencedoras da faixa de 26 GHz. Caberá ao GAPE definir os projetos, detalhando características, critérios técnicos, cronograma de metas e estudos de precificação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.