Goiânia tem queda de 4,25% no preço da cesta básica

Queda foi registrada no preço do conjunto de alimentos entre fevereiro de 2017 e 2018

Foto: Marcelo Camargo/ABr

Goiânia está entre as capitais com maior queda no preço da cesta básica quando analisados os números dos últimos 12 meses.A Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) foi divulgada nesta terça-feira (6/3).

No acumulado entre fevereiro de 2017 e igual mês deste ano, houve queda de preços em 13 cidades, sendo as mais expressivas ocorreram em Manaus (-4,90%), Goiânia (-4,25%) e Belém (-4,10%). As maiores altas abrangem sete capitais, com destaque para Recife (3,49%) e Rio de Janeiro (3,25%).

No ranking geral, porém, Goiânia é apenas a 8ª capital com a cesta mais barata entre as 20 pesquisadas, com valor médio de R$ 364,01. Ao longo do ano, o preço médio do conjunto de alimentos básicos na capital goiana foi baixo, menos de 1%. Em Fortaleza (CE), por exemplo, a oscilação foi de 7,63%

No primeiro bimestre, entretanto, todas as cidades tiveram aumentos. Entre as que tiveram maiores correções estão Fortaleza (7,63%), Brasília (7,61%) e João Pessoa (7,47%). As menores taxas acumuladas foram constatadas em Aracaju (0,46%) e em Goiânia (0,96%).

O salário mínimo ideal calculado pelo Dieese ficou em R$ 3.682,67, ou 3,86 vezes o salário mínimo nacional (R$ 954,00). O teto é estimado com base no maior valor da cesta e leva em consideração as necessidades básicas (alimentos, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência) de uma família com quatro pessoas. No mês passado, pelo cálculo do Dieese, o valor ideal seria R$ 3.658,72, ou 3,90 vezes o salário mínimo de até então (R$ 937,00).

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.