Goiânia tem maior dívida ativa do Centro-Oeste

Análise do anuário Multi Cidades mostra que a capital teve acréscimo negativo de R$ 85,6 milhões em 2017 contra os R$ 79,9 milhões em 2016

De acordo com dados do anuário Multi Cidades – Finanças dos Municípios do Brasil, da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), no Centro-Oeste, Goiânia foi a líder da dívida ativa no ano passado.

Segundo a publicação, a Capital teve acréscimo negativo de R$ 85,6 milhões em 2017 contra os R$ 79,9 milhões em 2016, um aumento de 7,1%. Outras capitais da região fizeram o caminho contrário e apresentaram índices positivos.

Cuiabá, Mato Grosso, recuperou R$ 34,6 milhões das dívidas em 2017. Um aumento de 28,8% comparado aos R$ 26,8 milhões de 2016. O município ainda precisa receber R$ 1,1 bilhão dos contribuintes. Campo Grande, Mato Grosso do Sul, tem R$ 2,7 bilhões para receber, mas conseguiu recuperar R$ 34,7 milhões no ano passado, um incremento de 24,6% em relação aos R$ 27,8 milhões de 2016.

Assim, no ranking da dívida ativa no Centro-Oeste, Goiânia é seguida por Campo Grande e, em terceiro lugar, aparece a capital mato-grossense.

Goiás

No Estado, o destaque positivo foi de Aparecida de Goiânia, que apresentou recuperação de dívidas de R$ 4,2 milhões em 2017, um valor 173% maior do que os R$ 1,5 milhão recolhidos em 2016. Anápolis apresentou aumento de 66,6% e R$ 24,7 milhões recuperados no ano passado.

Os dados dessa pesquisa são baseados em números da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apresentando uma análise do comportamento dos principais itens da receita e despesa municipal, tais como ISS, IPTU, ICMS, FPM, despesas com pessoal, investimento, dívida, saúde, educação e outros.

(Com informações da Comunicação com Conteúdo)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.