Goiânia sedia encontro de Ceasas de todo o país

As iniciativas pública e privada se reúnem pela primeira vez para discutir o futuro do setor hortifrutigranjeiro

Vista aérea do Ceasa Goiás | Foto: Reprodução

Vista aérea do Ceasa Goiás | Foto: Reprodução

Goiás sedia, entre quarta-feira e sexta-feira desta semana (5 e 7/10), o encontro dos representantes das Centrais de Abastecimentos (Ceasas) de todo o Brasil. Nos três dias de programação, especialistas vão discutir temas como gestão de resíduos sólidos, responsabilidade socioambiental e busca de soluções para avanços do setor hortifrutigranjeiro no país.

O evento é o “Encontro Nacional do Abastecimento”, realizado em Goiânia, com o tema  “O abastecimento se encontra no coração do Brasil”. Embora as delegações sejam recebidas no dia 5, com um jantar de boas-vindas, a abertura oficial será apenas na quinta-feira (6) com uma programação de debates e palestras.

Entre os palestrantes, está o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), que vai falar sobre as potencialidades do Estado, sobretudo nas áreas de produção de alimentos e logística, e do diretor da Central de Abastecimento no Chile e membro da Sociedade de Agricultura do país, Gonzalo Bravo Baltra.

O presidente da Ceasa-Goiás, Edivaldo Cardoso, comemorou o fato de ser a primeira vez que o complexo reúne o setor público — as direções das Ceasas — com a iniciativa privada e os operadores de mercado. “Debater o mercado de abastecimento de produtos in natura, a segurança alimentar e as boas práticas de gestão são os principais objetivos deste evento”, reforçou o presidente.

Na sexta-feira (7) será realizada uma visita de todos os participantes à Ceasa de Goiás. O evento, realizado no Hotel Oitis, foi organizado pela Central de Abastecimento de Goiás e do governo do Estado, com apoio da Associação Brasileira das Centrais de Abastecimento (Abracen) e da Confederação Brasileira das Associações e Sindicatos de Comerciantes em Entrepostos de Abastecimento (Brastece).

A Ceasa-Goiás é a quarta maior do Brasil no que se refere à quantidade de produtos comercializados e à movimentação financeira. Só em 2015, a Central comercializou 931.676 toneladas de hortifrútis, o que gerou uma movimentação de aproximadamente R$ 2,1 bilhões.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.