Goiânia poderá ter ônibus cor de rosa e exclusivo para mulheres

Veículos serão exclusivos para o transporte de mulheres e deverão ser dirigidos por motoristas do sexo feminino. Projeto é de autoria do vereador Zander Fábio

Vereador Zander Fábio (PEN) | Foto: Alberto Maia

Vereador Zander Fábio (PEN) | Foto: Alberto Maia

Um projeto de lei de autoria do vereador Zander Fábio (PEN) quer que as empresas de transporte coletivo coloquem nas ruas de Goiânia, durante os horários de pico, ônibus cor de rosa, destinados exclusivamente ao transporte de mulheres.

Segundo o vereador, o objetivo é tornar o transporte público mais digno, confortável e seguro para as mulheres. “Infelizmente ainda vivemos numa cultura retrógrada e machista que permite aos homens se aproveitarem da precariedade do transporte público para submeter mulheres a práticas delituosas ofensivas a sua dignidade e intimidade”, defende Zander.

O projeto do vereador determina que a porcentagem de ônibus rosas em relação ao total da frota e os horários oferecidos nas linhas deverão ser estabelecidos pela Câmara Deliberativa de Transportes Coletivos da Região Metropolitana de Goiânia (CDTC). Os veículos exclusivos não poderão ser inferiores a 30% da frota e deverão atender prioritariamente de segunda à sexta, nos horários de pico.

Os ônibus devem ser inteiramente pintados na cor rosa, com o aviso de que são exclusivos para o transporte de mulheres, e devem ser dirigidos preferencialmente por motoristas do sexo feminino. Segundo o projeto, a única exceção para o sexo masculino são os meninos de até 14 anos que estiverem acompanhados de suas mães ou mulheres responsáveis.

As usuárias do transporte coletivo poderão optar livremente por utilizar os ônibus mistos sempre que quiserem e elas não poderão pagar tarifa mais cara por andar nos veículos exclusivos. (Com informações da Câmara de Goiânia)

2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Antonio Alves

Será que alguém já perguntou às mulheres o que elas acham dessa ideia?

Max Müller

Haverá mulheres policiais para garantirem a segurança também? Talvez duas para cada coletivo. Eu sugiro.