Goiânia Mostra Curtas começa nesta terça (3) com show de Ava Rocha

A atriz Dira Paes será uma das homenageadas da edição e está confirmada na abertura, que será realizada a partir das 20h no Teatro Goiânia. Veja programação

Foto: Divulgação e Bruna Aidar/ Jornal Opção

O 17º Goiânia Mostra Curtas começa nesta terça-feira (3/10) com a presença da atriz Dira Paes, homenageada desta edição pela sua contribuição ao audiovisual brasileiro. A abertura, que será realizada a partir das 20h no Teatro Goiânia, também terá um pocket show com a cantora Ava Rocha, que apresenta as faixas de seu primeiro álbum solo.

O festival vai até domingo (8) e se divide entre o Teatro Goiânia, onde são exibidos os filmes, o Papillon Hotel, onde são feitos os debates, e o Centro Cultural da Universidade Federal de Goiás, local de oficinas. Confira a programação completa no site do evento: Goiânia Mostra Curtas

Neste ano, a Curta Mostra Especial tem como eixo temático Os Índios e o Cinema. Um panorama da mais recente produção audiovisual indígena será exibido, com doze filmes de sete Estados brasileiros. A programação é completada com as mostras Brasil, Goiás e Animação, sessões exclusivas para crianças, workshops, palestras e lançamentos literários. Todas as atividades são gratuitas. A agenda completa pode ser conferida aqui.

A Goiânia Mostra Curtas conta com o patrocínio da Rodonaves Transportes através da Lei Goyazes, Seduce Goiás e do SESI – Conselho Nacional, apoio institucional da Universidade Federal de Goiás, do Ministério da Cultura por meio da Secretaria do Audiovisual, apoio da Saneago e da Unimed Goiânia e é realizada pelo Icumam. 

Homenagens

A ampla programação da Goiânia Mostra Curtas inclui tradicionalmente homenagens que buscam reverenciar a trajetória de importantes personalidades do cenário audiovisual brasileiro. Com mais de 40 filmes na bagagem, Dira Paes é uma das atrizes mais premiadas e respeitadas de sua geração e vem a Goiânia, especialmente, para receber a homenagem, que destaca seu vasto legado no audiovisual brasileiro à militância social, política e cultural.

No cinema, Dira Paes esteve em trabalhos de destaque como o longa 2 Filhos de Francisco (Breno Silveira),  no recente Redemoinho (José Villamarim) e na animação brasileira Lino (Rafael Ribas), em cartaz em 2017. No teatro, foram oito espetáculos dirigidos por nomes consagrados como Amir Haddad. Na televisão, somam-se 17 trabalhos, entre eles a aclamada novela Velho Chico (Luiz Fernando Carvalho) e a série Amores Roubados (José Villamarim).

Para além dos palcos e telas, Dira Paes merece admiração ainda por sua atuação social. Dentre os projetos nos quais está envolvida diretamente, a atriz dirige a ONG Movimento Humanos Direitos, que defende questões como a demarcação de terras indígenas e atua no combate ao trabalho escravo e à exploração sexual infantil.

Na noite de encerramento, o festival reverencia a trajetória do cineasta e indigenista Vincent Carelli. Filho de pai brasileiro e mãe francesa, Carelli nasceu em Paris, em 1953, e mudou-se para São Paulo aos cinco anos. Graduou-se em Ciências Sociais na Universidade de São Paulo e desde 1973 está envolvido com projetos de apoio a grupos indígenas no Brasil.

Em 1986, Vincent Carelli fundou o Vídeo nas Aldeias, projeto que acompanha e estimula por meio do audiovisual as lutas dos povos indígenas por fortalecimento e valorização de suas identidades e territórios. Desta experiência, produziu uma série de 16 documentários que têm sido exibidos por TVs públicas ao redor de todo o mundo.

Em sua premiada filmografia, destacam-se obras como “Corumbiara”, grande vencedor no festival de Gramado de 2009, o recente “Martírio”, filme consagrado, que destrincha a luta pela demarcação das terras habitadas pelos Guarani-Kaiowá, e o longa-metragem ainda em fase de desenvolvimento “Adeus, Capitão”. Juntos, os três filmes compõem uma trilogia que transpõe para as telas seu testemunho das marcas de 40 anos de indigenismo no Brasil.

POCKET SHOW

A 17ª Goiânia Mostra Curtas traz, em sua abertura, um pocket show especial da cantora Ava Rocha, gerando um rico encontro entre a música e o cinema nacional. Acompanhada do músico carioca Marcos Campello, Ava vai apresentar um repertório fundamentado no seu primeiro álbum solo, Ava Patrya Yndia Yracema, que mistura MPB com grooves afros, amazônicos, poesia, distorções, suavidade e improvisos.

Também compositora e cineasta, Ava Rocha lançou dois discos: Diurno (Warner, 2011) e Ava Patrya Yndia Yracema (Maravilha8/ Circus 2015). Este último, citado entre os melhores do ano por inúmeras publicações nacionais e estrangeiras, rendeu a Ava o Prêmio APCA 2015 de “Artista Revelação” e os Prêmios Multishow 2015 de “Melhor Hit” e “Artista Revelação”. Dentre os grandes artistas com quem já gravou e se apresentou estão Jards Macalé e Gilberto Gil.

 

Serviço

17ª Goiânia Mostra Curtas
Data:
 de 3 a 8/10
Local: Teatro Goiânia
Horário das cerimônias e abertura e encerramento: 20 h
Endereço: Teatro Goiânia (Avenida Anhanguera com Avenida Tocantins, Setor Central)
Entrada franca

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.