Goiânia é a segunda melhor capital do país para se abrir uma empresa, aponta Ministério da Economia

Com apenas 20 horas de tempo de espera, capital goiana só perde para Florianópolis, que conquistou o posto de cidade mais ágil com tempo médio de 5 horas para abertura de empresas.

Goiânia vista aérea | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Goiânia aparece como a segunda capital do país no ranking de melhor cidade para se abrir um novo negócio, com apenas 20 horas de tempo de espera. É o que aponta o Mapa das Empresas em boletim do 2° quadrimestre de 2020, divulgado pelo Ministério da Economia.

A capital goiana só perde para Florianópolis, que conquistou o posto de cidade mais ágil com tempo médio de 5 horas para abertura de empresas. Neste ranking, Goiânia diminuiu o tempo em 15 horas.

Novas empresas

Relatório inédito divulgado pela Sedetec mostra que, no período de março a setembro, foram quase 11 mil empresas abertas distribuídas entre diversos ramos como o industrial, comércio, autônomos e prestacional, entre outros. Entre maio e agosto, o mês de julho apresentou alta de solicitações de abertura com mais de 2 mil cadastros. Uma diferença de cerca de 300 empresas a mais se comparado com o mês anterior. No total, mais de 7 mil e 500 empresas foram abertas neste período.

Os segmentos que abriram mais cadastros foram os de promoção de vendas com 474; de Preparação de documentos e serviços especializados com 327; e comércio varejista de vestuário com 170 novos estabelecimentos.

De acordo com o secretário de desenvolvimento econômico, trabalho, ciência, tecnologia (Sedetec), Walisson Moreira, o resultado positivo desse trabalho é a parceria com a Junta Comercial do Estado de Goiás (Juceg), a Associação do Comércio e da Indústria do Estado de Goiás (Acieg) com a criação da Redesim, que é onde a pessoa solicita a inscrição municipal.

“É um processo de desburocratização e simplificação sem precedentes na história. É tudo é feito com muita segurança no meio digital em plataforma de simples acesso”, afirma o secretário.

A previsão da Prefeitura é que o comércio continue aquecido para que logo seja superada as perdas que ocorreram durante a pandemia nos últimos meses.

“Acredito que as pessoas aprenderam a se proteger e como lidar com o vírus. Além disso, a Prefeitura está fazendo um trabalho formidável com a identificação de pessoas contaminadas com o vírus, fazendo acompanhamento, e isso traz segurança para o mercado. Então, a tendência é de saldo positivo até o final do ano”, ressalta Walisson.

Goiás

Goiás também está bem no ranking e é o primeiro estado do país com média de menor tempo para a abertura de empresas, com 1 dia e 1 hora, dado que demonstra queda de 11 horas (30,6%) em relação ao primeiro quadrimestre de 2020. Goiás registrou uma média de 1 dia e 1 hora para uma pessoa abrir uma empresa nos últimos meses. A marca superou 11 horas a menos em comparação ao primeiro quadrimestre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.