General Mourão é indicado vice na chapa de Bolsonaro

Com acordo com o PRTB, Levy Fidelix anunciou a retirada de sua candidatura para compor a aliança nacional com o parlamentar do PSL

O PRTB anunciou neste domingo (5) apoio ao candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, e indicou o general da reserva Hamilton Mourão para compor a chapa como vice-presidente. Na convenção do partido, realizada na tarde de hoje na capital paulista, o presidente do PRTB, Levy Fidelix, anunciou a retirada de sua candidatura para compor a aliança nacional com Bolsonaro.

Jair Bolsonaro participou da convenção do PRTB, ao lado do general Mourão. Em discurso, Mourão disse que aceitou o convite de Bolsonaro como cumprimento de missão e espírito de dever. “Para defesa dos nossos valores, da integridade do nosso território, do nosso patrimônio e de uma verdadeira democracia, onde haja oportunidade para todos e todos ascendam por seus próprios méritos, e não por esmolas”, afirmou.

O general acrescentou que pretende integrar um “governo austero, honesto, sem corrupção, com eficiência gerencial e com relacionamento republicano com os demais poderes, sem um balcão de negócios”.

Após o discurso do general, Bolsonaro disse que, a partir daquele momento, deixava de ser capitão e seu candidato a vice, de ser general. “Nós passamos a ser, a partir de agora, soldados do nosso Brasil”, afirmou Bolsonaro. “Temos uma enorme responsabilidade em mudar nosso Brasil. Não podemos mais ficar esperando qual facção vai continuará no poder.”

O general Antônio Hamilton Martins Mourão tem 64 anos, é natural de Porto Alegre e entrou no Exército em 1972, ficando na ativa até fevereiro deste ano.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ziro

Posição estratégica, caso venham a ganhar as eleições, a indicação pode evitar pedido de impeachment de Bolsonaro por parte dos esquerdistas manipulados pelos comunistas, pois esta manobra poderia resultar num General linha dura no cargo da Presidência, que pode bater de frente contra os comunas enraizados em todos poderes da republica. Na minha opinião, diante do atual cenário político tomado pelos conchaves desastrosos ao país, acho que a população vai arriscar em Bolsonaro, mas, há reais riscos de perder as eleições em 2.º turno, principalmente devido a parcialidade da mídia brasileira que já começou a bater forte.