“Garoto que matou vizinha de 14 anos é doente, não criminoso”, opina psiquiatra

Profissional especialista em psiquiatria da infância e adolescência explica se autor de crime bárbaro pode ser tratado como psicopata, mesmo com apenas 13 anos

Psiquiatra Marcelo Caixeta | Reprodução/Facebook

Marcelo Gouveia e Matheus Monteiro

“Até segunda prova, doente e não criminoso.” Este é o diagnóstico do psiquiatra da infância e adolescência Marcelo Caixeta sobre o caso do garoto de 13 anos que matou a vizinha, uma adolescente de apenas 14 anos, na última semana, em Goiânia.

Para o especialista, o crime que gerou repercussão nacional e comoção nas redes deve ser tratado como “psiquiátrico” e explica: “Sempre que você procura compreensão para um crime e não encontra resposta, você está diante de um caso psiquiátrico.

“Ele não pode ser psicopata de acordo com critérios de diagnósticos. É uma questão semântica, mas ele pode sim ter alguma alteração, como delírios”, explicou o profissional em breve bate-papo com a reportagem do Jornal Opção. Confira abaixo a entrevista na íntegra:

O senhor acha que o adolescente pode ter alguma alteração psiquiátrica?
Com certeza, trata-se de um crime psiquiátrico. Sempre que você procura compreensão para um crime — o porquê ele matou — e não encontra resposta, você está diante de um fato psiquiátrico.

Em uma primeira análise, qual seria o seu diagnóstico?
Pelo que eu vejo, pressupõe-se que ele sofre de delírio, o que na psiquiatria é muito comum. Imagino que seja um delírio de referência, quando a pessoa acha que todos estão fazendo referência a ela. Ela sai na rua, por exemplo, e acha que estão olhando para ela ou dizendo coisas sobre ela.

O promotor do caso disse à reportagem que o adolescente não pode ser tratado como psicopata. Como psiquiatra, como o senhor vê essa afirmação? É isso mesmo?
Psicopata é um termo que não existe na psiquiatria hoje em dia. O termo hoje é transtorno de personalidade antissocial. E isso só pode ser falado para pacientes acima de 18 anos. Para adolescentes, o termo usado é transtorno de conduta.

Então, ele realmente não pode ser tratado dessa forma?
Ele não pode ser psicopata de acordo com critérios de diagnósticos. É uma questão semântica, mas ele pode sim ter alguma alteração, como delírios. Esses delírios, geralmente, vêm acompanhados de depressão que, sobretudo na adolescência, aumenta a agressividade.

A defesa alegou recentemente à imprensa que foi só depois de algum tempo após o crime que a ficha do adolescente caiu. Isso é possível?
Pode ser manobra jurídica. Mas, em tese, como não analisei o caso com exames — ele pode ter um tumor na cabeça, por exemplo –, o que vejo é que, em geral, é que ele pode apresentar um quadro de depressão com questões flutuantes. Isto é, hoje ele pode estar mais agressivo e amanhã menos. Então, é sim possível que a ficha dele tenha caído depois, como também pode ser possível que ele esteja sendo orientado a responder com arrependimento.

Qual é a orientação do senhor para as duas famílias, tanto para a família da vítima quanto para a família do adolescente?
Para mim, até segunda prova ele é doente, não é criminoso. Talvez ele tivesse apresentado pequenos sintomas e não foi visto, e pessoas leigas realmente não percebem esses sintomas com facilidade. Portanto, ele precisa de tratamento e o que aconteceu foi uma fatalidade. A família do menino deve pensar assim, que foi uma fatalidade e que ele precisa de tratamento. Ele deve ficar recluso pelo tempo que o médico determinar e, quando sair, precisa de acompanhamento. É claro que para a família da vítima não importa se foi uma fatalidade ou não, mas a família do menino deve enxergar assim.

*Marcelo Caixeta é médico especialista em psiquiatria da infância e adolescência pela Universidade de Paris XI , e médico especialista em psiquiatria criminal pela AMB/ABP

2
Deixe um comentário

2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Felippe Kopa akis

Criminoso ou psicopata, ou politicamente correto transtorno de personalidade antissocial, o caso é que matou. Podia ter sido minha filha, que estudava com ele e que nos deixa com grande insegurança, pois sendo criminoso ou psicopata, logo estará solto. Como pai não quero desculpas, quero que o Estado cumpra o seu papel.

psiquiatra verdadeiro

Rico = Doente
Pobre = Criminoso
vsf seu verme.