Gaeco inicia operação para desarticular grupo que fazia compra fictícia de combustíveis em Itaberaí

Delitos teriam sido cometidos no âmbito da administração pública do município entre 2013 e 2019; suspeitos são investigados por fraudes nas licitações referentes às referidas contratações até o desvio de verbas públicas municipais e a lavagem de capitais

O Ministério Público de Goiás (MP-GO), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), deflagrou, na manhã desta quinta-feira, 6, a operação que visa comprovar a existência e desarticular uma suposta organização criminosa que teria atuado, durante os anos de 2013 a 2019, no âmbito da administração pública do município de Itaberaí. Agentes cumprem 17 mandados de busca e apreensão.

São buscadas pistas que comprovem desde a compra fictícia de combustíveis até a contratação de funcionários fantasmas e empresa de fachada para realização de concursos públicos para o município. Os suspeitos são investigados por fraudes nas licitações referentes às referidas contratações até o desvio de verbas públicas municipais e a lavagem de capitais, bem como o crime de organização criminosa

Os mandados foram expedidos pelo juiz Alessandro Pereira Pacheco, titular da 2ª Vara Estadual de Combate às Organizações Criminosas. Segundo inquéritos civis em curso na 2ª Promotoria de Justiça da cidade de Itaberaí, os investigados teriam articulado um esquema diversificado de desvio de recursos públicos e de lavagem de capitais.

A Operação Tanque Cheio é realizada com apoio das Polícias Civil e Militar do Estado de Goiás.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.