Gabinetes iniciam transferência para a nova sede da Alego

Em processo de mudança para o Palácio Maguito Vilela, onde funcionará a nova sede da Assembleia, os 41 gabinetes iniciaram o processo de empacotamento dos materiais

O clima dos servidores, deputados e assessores públicos na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) é de mudança após o final da sessão da última terça-feira, 21, quando encerrou a atividade legislativa e, também, quando o presidente da Casa, Lissauer Vieira (PSB), anunciou a transferência da sede para o Palácio Maguito Vilela, que será a nova sede do parlamento estadual.  

A próxima sessão, marcada para o dia 15 de fevereiro já foi convocada pelo presidente da Casa, e todos os gabinetes dos 41 deputados da Casa estão em processo de encaixotamento e de empacotamento para a transferência da sede para o Park Lozandes, próximo ao Paço Municipal.  

Até o momento, somente o departamento de saúde, a escola do legislativo e o departamento cultural já foram transferidos para a nova sede. Isso acontece porque, de acordo com a assessoria da Casa, todo o processo está sendo realizado por etapas, porque há um cuidado especial com a documentação, com os equipamentos da Casa e com todo o processo Legislativo, por isso tudo está sendo monitorado.  

“Não existe um prazo estipulado para a mudança, mas será realizada no mês de janeiro. Todo esforço está sendo empreendido para entregar a antiga sede para a prefeitura o mais rápido possível”, afirma a assessoria do presidente da Alego, Lissauer Vieira (PSB).  

Como adiantado pelo jornal Opção, o processo de mudança é bastante longo e está previsto para os meses de janeiro e fevereiro, sem prazo final para a conclusão da transição completa. Isso porque há, por exemplos, mobiliários que ficarão na antiga sede e precisarão de um destino, com a devida tramitação legal, para doação ou outro desígnio.   

O Paço ainda não definiu qual será a destinação oficial do terreno e do prédio do palácio. Há rumores de que a prefeitura poderia transformar o local em um museu, mas não há confirmação oficial. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.