A Polícia Federal cumpriu um mandado de prisão contra um funcionário do Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, na segunda fase da operação Iraúna, que apura tráfico internacional de drogas. Outro homem, suspeito de participar da troca de etiquetas das bagagens de duas goianas, também é alvo da operação. Os suspeitos prestarão depoimento e serão encaminhados para o sistema prisional.

Os oito mandados judiciais de hoje, sendo seis de busca e apreensão e dois de prisão temporária, estão sendo cumpridos contra outros quatros funcionários terceirizados do aeroporto que estariam envolvidos na ação.

De acordo com o delegado Rodrigo Teixeira, é forte a possibilidade de participação de facções criminosas na organização e execução dos crimes. “É bem provável que as facções criminosas estejam atuando nesse tráfico. Na primeira fase da operação, deflagrada em 4 de abril, foram seis pessoas presas. A partir da análise dos materiais apreendidos hoje vamos encaminhar ao judiciário para futuras ações penais”, descreve.

“A Polícia Federal identificou até o momento apenas pessoas que participaram efetivamente da troca das etiquetas. A questão da coação ou não é algo que ainda está sendo apurado dentro do inquérito policial”, argumenta.