François Hollande elogia ação da polícia e convoca população para marcha de domingo

O líder francês afirmou que o povo deve ser cauteloso neste momento mesmo com a segurança reforçada no país

O presidente da França, François Hollande, elogiou a ação das forças de segurança que resultaram na morte de três terroristas nesta sexta-feira (9/1). Dois deles atacaram o semanário satírico francês Charlie Hebdo e um fez cinco reféns em um supermercado judeu. Os dois atentados acabaram com 17 mortos e 20 feridos.

O líder francês pediu “vigilância” à população, ressaltando a necessidade dos franceses serem “cautelosos” neste momento, mesmo com a segurança reforçada no país. Após três dias do atentado ao jornal, Hollande disse que o país “enfrentou”, mas “ainda não pôs fim, às ameaças de que é alvo”.

“A França, apesar de estar consciente de as ter enfrentado, apesar de saber que pode contar com as forças de segurança, com homens e mulheres capazes de atos de coragem e bravura, ainda não acabou com as ameaças”.

Como fez logo após o ataque à sede do semanário Charlie Hebdo, Hollande pediu unidade à nação. “Venho apelar para a vigilância, unidade e mobilização”, disse. O presidente ressaltou que a França deve rejeitar o racismo e o anti-semitismo. Acrescentou que os responsáveis pelo atentado são “fanáticos” e que “não têm nada a ver” com a religião muçulmana.

O líder francês agradeceu os gestos de solidariedade dos vários chefes de Estado e populações de diferentes países e chamou os franceses a participarem da marcha marcada para a tarde do próximo domingo (11/1), em Paris. A manifestação havia sido convocada imediatamente depois do atentado contra o jornal Charlie Hebdo.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.