Francisco Almeida é eleito presidente do Crea-GO com quase 70% dos votos

O engenheiro agrônomo derrotou candidato da situação, Idalino Hortêncio, e garante que vai instaurar “novo tempo” no conselho: “devolveremos o prestígio do Crea”

Franscisco-Almeida 2

Francisco Almeida é o novo presidente do Crea-GO, segundo resultado extraoficial | Foto: Walacy Neto

Alexandre Parrode e Marcello Dantas

O engenheiro agrônomo Francisco Almeida foi eleito para a presidência do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (Crea-GO). Segundo a instituição, o resultado divulgado no final da noite quarta-feira (19/11) é extraoficial. O profissional somou 1.758 votos, ante os 822 do engenheiro civil Idalino Hortêncio. A proporção, que não deve sofrer grandes alterações, ficou em 68% a 32%.

Em todo o Estado são 50.045 profissionais filiados, sendo que 23 mil deles estão aptos para votação, o que sinaliza alta taxa de abstenção no processo. A apuração das 23 urnas foi iniciada às 19 horas de ontem pela Comissão Eleitoral Regional (CER) de Goiás. Dessas, 15 estavam na sede do conselho, oito nas chamadas inspetorias e mais 39 no interior, que registraram votos convencionais. De acordo com a assessoria de imprensa, ainda resta a conferência de algumas urnas que ainda não chegaram a capital.

Em entrevista ao Jornal Opção Online, o presidente eleito afirmou que recebe o resultado com muita humildade. “A porcentagem de quase 70% mostra que os profissionais querem mudança, não estão satisfeitos com o que está aí. O desafio é muito grande porque há muitos anseios a serem correspondidos”, explicou. Segundo ele, tão logo assuma o cargo, mudanças vão ser aplicadas. “A partir de janeiro faremos uma gestão diferente. Precisamos ouvir mais, ter maior interação e valorização de nossos associados”, resumiu.

Para Francisco Almeira, um dos indicativos da descrença dos profissionais para com o Crea é justamente o baixo comparecimento nas urnas. “Há um distanciamento muito grande que fica claro nos cerca de 2,4 mil votos. Normalmente, esse número chega a 4 mil. Nossa vitória é também um momento de reflexão”, ponderou. Ele destaque que dos 23 mil membros que estão aptos a votar. 51% se encontram no interior do Estado. “Vamos levar o conselho para todas as regiões do Estado, reaproximando e performando um trabalho de união dos profissionais”, garantiu o eleito.

Ao comentar sobre as mudanças que são mais urgentes, Francisco é taxativo: “ouvir e debater”. “Infelizmente, o Crea se transformou em um órgão arrecadador e cartorial. Precisamos interagir mais, nos atentar aos anseios e sugestões que nossos filiados propõem. Mudar essa administração pesada, melhorando os serviços, descentralizando as informações. É o primeiro passo para fortalecer o Crea”, sustentou. O futuro presidente apontou a Ordem dos Advogados do Brasil como o modelo que ele quer implantar. “Tenha certeza de que sairemos da zona de conforto na qual a atual gestão se encontra para devolver o prestígio do Crea”, arrematou .

Formado há 35 anos, Francisco Almeida já presidiu o órgão por dois mandatos consecutivos e vai comandar a autarquia goiana de 1º de janeiro de 2015 a 31 de dezembro de 2017. Ele deverá tomar posse em sessão plenária especial com data e horários a serem definidos.

Leia mais:
“Crea precisa valorizar os profissionais”, sugere Francisco Almeida
Crea deve acompanhar jovens profissionais, defende Idalino Hortêncio

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.