Fórum empresarial discute incentivos fiscais e industrialização com presidente da Alego

Os presidentes da Fieg, da FCDL e da Adial, além do diretor-executivo da Adial, participaram da reunião, que contou com a presença do deputado estadual Thiago Albernaz (SD)

Foto: Reprodução

Entidades do Fórum Empresarial reuniram-se nesta segunda-feira, 17, com o presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Lissauer Vieria (PSB), no gabinete da presidência da Casa. Participaram da conferência, o presidente da FCDL, Valdir Ribeiro da Silva, o presidente da Adial, Otávio Lage Filho, o diretor-executivo da Adial, Edwar Portilho, o Chequinho.

O encontro consistiu em um desdobramento da reunião que aconteceu na última sexta-feira, 14, e teve como pauta as demandas do Fórum.

O presidente da Fieg, Sandro Mabel, explicou o motivo do encontro: “Uma reunião importante, o presidente Lissauer Vieira e a Assembleia têm sido muito atenciosos com as demandas do setor industrial. Nós estivemos juntos com a Adial, FCDL e outros companheiros, que vieram colocar alguns pontos como a nossa preocupação com a industrialização do Estado de Goiás, para que possa ser mais atrativo aos investimentos”.

E disse ainda: “Foram pautas de diversos tipos com o foco principal na industrialização, atratividade dos incentivos fiscais, a manutenção da confiança no governo, enfim, isso aí são pontos que fazem com que as indústrias ou venham, ou permaneçam no Estado”.

Sandro reiterou que há uma preocupação com Estado de Goiás nesse sentido: “Nós viemos trocar ideias junto com o presidente, que, como sempre, junto ao deputado estadual, Thiago Albernaz (Solidariedade), foram muito receptivos, deram toda atenção”. Albernaz também participou do encontro, quando o Difal entrou em pauta. 

“Outra coisa que propusemos ao presidente seria que ele pudesse almoçar com o Fórum Empresarial a cada 90 dias, ou vir até aqui, com um ou mais deputados para ter esse diálogo, dividir as preocupações, estreitar o diálogo, como nós temos procurado fazer com o governador Caiado”, completou Mabel.

Que concluiu: “Acho que se entendendo é a forma mais fácil de todos nós buscarmos o desenvolvimento, que a nossa torcida é que o Estado de Goiás vá bem, que governo vá bem, que a indústria vá bem também”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.