Força-tarefa retoma obras no Socioeducativo em Goiás

“Esperamos que essa retomada seja acelerada e que tenhamos, muito em breve, uma nova realidade nessa área sensível para a população”, afirma Lúcia Vânia

Foto: Reprodução

A Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds) conseguiu acelerar a retomada das obras do sistema socioeducativo e evitar devolução de R$ 25 milhões em recursos ao governo federal. Além disso, outros serviços importantes para a manutenção dos Centros de Atendimento Socioeducativo (CASEs), como alimentação, água, material de higiene e limpeza também foram regularizados nas unidades de Goiânia, Anápolis, Formosa, Luziânia, Itumbiara e Porangatu.

A secretária Lúcia Vânia, titular da Seds, propôs ainda que os Credeqs sejam reestruturados para atender aos adolescentes com dependência química. “Quando assumi a Seds, acertei com o governador Ronaldo Caiado priorizarmos o socioeducativo para melhorarmos as condições das unidades e darmos dignidade a esses jovens que lá estão, em processo de recuperação. Esperamos que essa retomada seja acelerada e que tenhamos, muito em breve, uma nova realidade nessa área sensível para a população”, explica.

Primeira entrega será em fevereiro

A primeira unidade a retomar as obras de reforma será o CASE de Formosa. Na sequência virão as unidades de Luziânia e Goiânia, todas com melhorias nas instalações, visando proporcionar mais conforto e segurança para os servidores e os jovens reeducandos. Na unidade de Goiânia será construída também uma escola para melhorar o sistema de ensino oferecido aos jovens, com previsão de entrega em julho de 2020. Todas as obras serão coordenadas pela Goinfra.

Na retomada das obras de construções estão as unidades CASEs de Porangatu, Itaberaí e Itumbiara. São as unidades cujos convênios com o Ministério da Mulher, Família e dos Direitos Humanos expiravam em 2019 e foram prorrogados em novas datas suficientes para a conclusão das obras.

Andamento das obras

O mais adiantado é o CASE de Itaberaí, com 83% de sua construção finalizada. A conclusão da obra está prevista para fevereiro de 2020, quando as 52 vagas previstas estarão à disposição da comunidade. A unidade foi a única que não teve o convênio prorrogado, já que o vencimento está com prazo suficiente para que a obra seja concluída, na avaliação da Goinfra. O CASE de Itumbiara está com metade de sua obra concluída e teve seu convênio prorrogado até dezembro de 2020, tempo suficiente para entregar as 58 vagas previstas no projeto.

O convênio do CASE de Porangatu também foi prorrogado para dezembro de 2020, quando a obra, hoje com 33% pronta, será entregue com as novas 58 vagas para a população local. Somados, os investimentos nas três unidades são de R$ 25 milhões, sendo R$ 21,3 milhões do governo federal e R$ 3,7 milhões, do Tesouro Estadual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.