Força-tarefa resgata 12 trabalhadores em condições análogas à escravidão em GO e DF

Crime ocorria nos municípios de Alto Paraíso e Vicente Pires

Alojamento em Alto Paraíso, em Goiás | Foto: Divulgação

Uma força-tarefa do Ministério Público do Trabalho e Polícia Federal resgatou 12 trabalhadores em Goiás e Distrito Federal em condições análogas à escravidão. A ação ocorreu nesta sexta-feira, 2.

Em Alto Paraíso, seis trabalhadores de uma carvoaria não tinham acesso ao banheiro e nem a equipamentos de segurança. Os empregados dormiam em condições precárias, sem armários para seus pertences e com paredes de fácil entrada de insetos.

No DF, a força-tarefa se deu em Vicente Pires, onde outros seis trabalhadores de uma empresa de hortaliças eram expostos a agrotóxicos produzidos pelo próprio empregador sem conhecimento. Os alojamentos também eram precários, com fiações aparentes, sem acesso a água potável e apenas um tinha carteira de trabalho.

As empresas foram interditadas. Elas deverão pagar R$44,9 mil de verbas salariais e rescisórias aos funcionários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.