Foragido por morte de paciente, “Doutor Bumbum” tem registro em conselho goiano

Médico famoso nas redes sociais teve prisão decretada no início desta semana

Divulgação

Conhecido nas redes sociais como “Doutor Bumbum”, o médico Denis Cesar Barros Furtado, 45 anos, que teve a prisão decretada pela Justiça do Rio de Janeiro no início desta semana após a morte de uma paciente, é registrado nos conselhos regionais de Medicina de Goiás e do Distrito Federal. A informação foi levantada pelo site Metropoles.

Denis é investigado pela morte de Lilian Calixto. A paciente cuiabana passou por procedimento estético nos glúteos no sábado, dia 14. Após a intervenção plástica, a mulher passou mal e veio a óbito logo após dar entrar em uma hospital na Zona Oeste do Rio, na madrugada de domingo (15).

Segundo depoimento de familiares, o mesmo dia da internação, o médico recolheu os pertences da paciente (um anel de prata com pedra, uma aliança dourada, um anel de prata, um cordão prata com pingente, uma blusa de manga, uma blusa de alças, um par de tênis e um sutiã) e se retirou do hospital.

Segundo a delegada Adriana Belém, responsável pelo caso, Denis tem sete anotações em sua ficha criminal. Uma delas, de 1997, é por homicídio e foi feita quando o médico tinha 24 anos. A polícia ainda não revelou detalhes do crime.

As outras seis anotações criminais de Denis, ainda de acordo com Adriana Belém, são por porte ilegal de arma (2003), crime contra a administração pública (2003), resistência à prisão (duas vezes, em 2006 e 2007), violação de domicílio (2007) e exercício arbitrário das próprias razões (2007).

Deixe um comentário