Presidente regional do PL ainda acredita que o cenário de disputa contra Vitor Hugo é o “sonho de Caiado”; Canedo prevê anúncio de quem será o candidato pelo partido até o fim da semana

A decisão pelo nome do candidato ao governo pelo PL deve sair ainda nesta semana, segundo o presidente do partido Flávio Canedo. Em conversa com o Jornal Opção, Flávio antecipou que a resposta final deve acontecer na sexta ou sábado, em meio a um cenário de indecisões entre os nomes de Major Vitor Hugo e Gustavo Mendanha (sem partido). Para o presidente da legenda, no entanto, a opção pelo nome do militar “não tem consistência eleitoral”.

Segundo ele, a possível candidatura de Vitor Hugo não tem a força que o partido deseja para concorrer ao pleito e, especialmente, fazer frente a Ronaldo Caiado. O governador, inclusive, aparece no discurso de Flávio como grande articulador e fortalecedor da candidatura do Major, na intenção de construir um caminho menos desafiador para a reeleição. “Hoje o que acontece é uma tentativa de por o Vitor Hugo nos meios de comunicação, para ver se ele cresce, e viabilizar uma candidatura que chegue a pelo menos coinc pontos percentuais, conquistando algum tipo de apoio”, explica.

Ele ainda argumenta que os nomes de Mendanha e Vitor Hugo não se comparam. Isso porque o prefeito de Aparecida obteve 146.637 votos na última eleição municipal e o deputado federal, 31.190 na disputa estadual. Canedo disse, inclusive, que, juntos, Jair Bolsonaro e Gustavo Mendanha “acumulam mais de um milhão de votos”. “O que não se compara ao nome de um candidato com apenas 30 mil votos”, diz, fazendo referência a Vitor Hugo. Mendanha participou de um evento, último sábado, 19, que contou com apoiadores de Jair Bolsonaro. A expectativa era aproximar o aparecidense do titular do Palácio do Planalto. No entanto, um dia depois, o presidente gravou vídeo hipotecando apoio ao deputado

Apesar de não concordar com a possível indicação do Major ao cargo, por desejar a indicação de um nome “com mais potencial e chances de vitória”, Flávio deixa claro que irá respeitar a decisão tomada. Além disso, diz que acredita muito no conhecimento político que irá embasar a decisão do presidente nacional da legenda, Valdemar Costa Neto, e do presidente da República, Jair Bolsonaro. Sobre o apoio de Bolsonaro, inclusive, Flávio aponta que o recente vídeo gravado pelo presidente ocorreu num momento em que “ele estava pressionado, demonstrando um apoio não definitivo”.

O líder regional do PL garante também que o espaço está aberto para negociações que possam incluir o nome de Vitor Hugo na chapa, mesmo que ele não encabece a disputa ao governo. “Estamos dispostos a diálogos para que ele possa sair como vice, deputado federal ou senador”, pontua.