Física brasileira recebe mesmo reconhecimento que Albert Einstein, nos EUA

Angela Villela Olinto é especialista em física das astropartículas e desenvolve diversos projetos em conjunto com a Nasa

Angela Olinto | Foto: Divulgação

A brasileira Angela Villela Olinto, que é física de astropartículas e professora na Universidade de Chicago, se tornou membro da Academia Americana de Artes e Ciências. O mesmo título foi concedido a nomes como Albert Einstein, Martin Luther King e Charles Darwin, além de outros. Ela também foi nomeada à Academia Nacional de Ciências, que elegeu 120 membros, sendo 59 mulheres.

Olinto é formada em Física pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Também é doutora em Física pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts. À revista Exame, ela revela que se interessou por partículas durante o curso de graduação. Já no doutorado, pela astrofísica. “Do pós-doutorado em diante, me dediquei a construir este novo campo que reúne as duas áreas do meu interesse anterior”, afirmou.

A brasileira é uma das maiores autoridades da “física das astropartículas”, que são as partículas que compõem ou interagem com a matéria, como neutrinos e núcleos atômicos. As possíveis fontes dessas astropartículas podem ser buracos negros supermassivos, galáxias com intensa formação de estrelas, estrelas dissociadas por buracos negros e colisões causadoras de ondas gravitacionais. Olinto tem contribuídos teórica e experimentalmente com estudos e pesquisas sobre astropartículas, como a teoria inflacionária, a origem e evolução dos campos magnéticos cósmicos, a natureza da matéria escura, dentre outros.

Em conjunto com a Nasa, Olinto lidera projetos como o Observatório espacial do universo em um balão de superpressão, o EUSO-SPB. O balão tem previsão de voo em 2023 para detectar raios cósmicos de ultra alta energia. Outro projeto é o POEMMA que, caso aprovada para construção e voo, levará uma sonda em uma missão no espaço com objetivo de estudar as astropartículas mais energéticas, raios cósmicos e neutrinos ultra energéticos, e descobrir suas fontes de interações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.