Filme “A Culpa é das Estrelas” é baseado no melhor livro de ficção de 2012, segundo ranking da revista Time

A obra tem sido aclamada pela crítica por fugir dos clichês de filmes românticos para adolescentes. “Tim Lopes – Histórias de Arcanjo” e “Em Busca de um Lugar Comum” também entram em cartaz nesta quinta-feira

Shailene Woodley e Ansel Elgort, protagonistas de "A Culpa é das Estrelas"

Shailene Woodley e Ansel Elgort, protagonistas de “A Culpa é das Estrelas”

Surpreendendo a crítica especializada por fugir dos clichês de filmes românticos para adolescentes, “A Culpa é das Estrelas” promete emocionar milhares de pessoas – de todas as faixas etárias – em todo o mundo. A obra, baseada em um livro que recebeu o título de melhor obra de ficção de 2012 pela revista Time, tem como protagonistas dois jovens acometidos pelo câncer. No entanto, ao invés de retratá-los como vítimas da doença, a produção os coloca no posto de protagonistas da própria história.

O livro foi escrito por John Green baseado em sua história com Esther, uma amiga dele que morreu em decorrência do câncer. Em sua homenagem, ele quis contar uma história onde aqueles que enfrentam a adversidade não são referenciados apenas por essa condição, mas como pessoas que têm seus medos, desejos e amores como qualquer outra. “Eu quis dar vida própria às pessoas doentes, algo que não fosse fazer a vida das outras pessoas melhor. Quis dar a elas o poder, colocá-las no centro da história e mostrar que, mesmo doentes, elas são irônicas, engraçadas, interessantes, têm raiva e estão vivas como nós”, disse.

O objetivo de retratar a humanidade dos personagens parece ter sido atingido, já que a história cativou o público e se propagou de forma a constar nos rankings do The New York Times e do Wall Street Journal como os mais vendidos no período de seu lançamento. E entre aqueles que foram tocados pelo romance está a apresentadora brasileira Ana Maria Braga, que foi diagnosticada com câncer em 2001.

Durante entrevista para o programa “Mais Você”, da Rede Globo, a apresentadora emocionou John Green ao falar sobre a conexão que sentiu com os personagens do livro. “Eu disse a ele que tive um câncer há mais de dez anos e sabia exatamente o que a personagem dele tinha sentido”, relatou a apresentadora. “Comentei que aquele livro foi o primeiro em que vi e senti tudo o que gostaria de ter visto e sentido na época da minha doença. É muito difícil transmitir um sentimento para quem realmente viveu essa experiência.”

“Sinto que causei a coisa certa e isso significa muito para mim, porque você viveu isso e sentiu que havia algo honesto sobre a história. Estou muito agradecido. Você vai me fazer chorar”, respondeu o escritor.

A adaptação cinematográfica é estrelada por Shailene Woodley e Ansel Elgort, que contracenaram juntos em “Divergente”. A direção ficou por conta de Josh Boone, e o roteiro por Scott Neustadter e Michael H. Weber, os mesmos de “500 Dias com Ela”.

Confira a sinopse oficial e o trailer do filme:

Direção: Josh Boone
Com: Shailene Woodley, Ansel Elgort, Nat Wolff
Gênero: Romance , Drama
Classificação indicativa: 12 anos
Nacionalidade: EUA

Diagnosticada com câncer, a adolescente Hazel Grace Lancaster (Shailene Woodley) se mantém viva graças a uma droga experimental. Após passar anos lutando com a doença, ela é forçada pelos pais a participar de um grupo de apoio cristão. Lá, conhece Augustus Waters (Ansel Elgort), um rapaz que também sofre com câncer. Os dois possuem visões muito diferentes de suas doenças: Hazel preocupa-se apenas com a dor que poderá causar aos outros, já Augustus sonha em deixar a sua própria marca no mundo. Apesar das diferenças, eles se apaixonam. Juntos, atravessam os principais conflitos da adolescência e do primeiro amor, enquanto lutam para se manter otimistas e fortes um para o outro.

Em cartaz no Kinoplex Goiânia Shopping; CInemark Flamboyant e Passeio das Águas.

Confira as outras estreias da semana:


Em Busca de um Lugar Comum

Direção: Felippe Schultz Mussel
Gênero: Documentário
Classificação indicativa: Livre
Nacionalidade: Brasil

Por meio de passeios guiados na Favela da Rocinha, no Rio de Janeiro, – segunda maior da América Latina -, o filme apresenta a realidade e projeta o futuro desse novo campo turístico. Um mercado de risco, em ascensão, baseado em sensíveis questões sociais.

Em cartaz no Cine Cultura.

Tim Lopes – Histórias de Arcanjo

Direção: Guilherme Azevedo
Gênero: Documentário
Classificação indicativa: 12 anos
Nacionalidade: Brasil

Filme que conta a trajetória e vida do jornalista Tim Lopes a partir do ponto de vista de seu filho. Dez anos após a morte de Tim, evento que chocou os cidadãos brasileiros, o longa procura contar outras histórias além das de quando ele era jornalista. Contém imagens de arquivos, feitos por Tim Lopes e por outros, e depoimentos de amigos, família e admiradores.

Em cartaz no Lumière Bougainville.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Jaldomir

Ficção científica? Tá louco?
O livro é medíocre, cheio de clichês e chavões caça níqueis. O filme é bem eficiente, leva todos os clichês e chavões e mediocridade para a tela do cinema.
Não chame esse chororô aborrescente de ficção científica, porque não é.